O design thinking é uma metodologia para estimular a criatividade e desenvolver projetos com mais eficiência. Assim, entender as etapas dele é indispensável para descobrir qual é a correta atuação de cada pessoa envolvida na empresa ou em um projeto.

A partir disso, é possível desviar de obstáculos que atrapalham a organização das ideias e, consequentemente, o andamento de demandas. Afinal, o objetivo do design thinking é resolver problemas e obter resultados mais satisfatórios.

Quer saber mais sobre o design thinking? Continue a leitura e saiba o que é e como ele funciona!

Qual é o significado de design thinking?

O design thinking é uma abordagem útil para o desenvolvimento de projetos criativos e bem estruturados. Para isso, são adotados alguns pensamentos dos profissionais de design — como mostra a própria tradução do conceito para o português literal.

Entre esses pensamentos, estão colaboração, multidisciplinariedade, estruturação de processos e ideias etc. Cada um desses elementos usa tecnologia, sensibilidade, ferramentas, métodos e estratégias que estejam à disposição para poder contribuir no andamento de um projeto.

Desse modo, o design thinking conta com mecanismos que criam condições favoráveis para que uma equipe atue com eficiência. O objetivo é que ela consiga gerar insights no encontro de soluções para os diversos problemas existentes em um projeto ou empresa.

Quais são as etapas do design thinking?

Conseguiu entender o que é design thinking? Então chegou a hora de conhecer as suas etapas, para que cada membro envolvido saiba se organizar adequadamente.

Confira!

Imersão

A imersão corresponde ao momento de compreensão profunda das operações do projeto ou da empresa. Isso inclui listar as ameaças, pontos fortes e fracos, oportunidades e os demais aspectos que contribuam para uma análise completa.

Para um melhor entendimento e aplicação da etapa, você pode dividi-la em imersão preliminar e imersão profunda. No primeiro caso, são feitas pesquisas e levantamento de dados a respeito de um tema.

No segundo, é necessário um maior detalhamento das análises e exploração dos diferentes aspectos e pontos de vista. Nesse ponto, o feedback dos clientes internos e externos é bem-vindo.

Tudo isso contribui para a geração de insights e a construção de um projeto eficaz. No entanto, é fundamental treinar o olhar para que a análise ocorra com empatia e seja voltada para os interesses e as necessidades do público-alvo do projeto.

Ideação

Após entender com mais profundidade os processos da empresa e do projeto, é possível identificar o que precisa ser melhorado. Feito isso, é chegada a etapa da ideação, que consiste na produção de ideias para implementar soluções e/ou melhorias.

Para tal finalidade, é necessário reunir a equipe e realizar um brainstorming. Esse termo é traduzido como tempestade de ideias e corresponde ao compartilhamento espontâneo de qualquer ideia que possa ser útil no andamento do processo.

Prototipação

Essa fase é o momento de realizar uma triagem das ideias compartilhadas na etapa de brainstorming. O intuito é separar as que podem oferecer um melhor desempenho, conforme os objetivos e as necessidades do projeto.

A partir disso, devem ser criados protótipos das melhores ideias propostas para uma análise mais minuciosa e uma decisão embasada do que vale a pena ser investido. Isso é possível de conferir especialmente ao testar a receptividade do público diante dos protótipos.

Implementação

Depois da prototipagem o grupo decide qual ideia tem mais força e quais ajustes podem ser necessários para otimização do projeto. Quando tudo isso for executado, chega o momento de lançar o produto ou serviço no mercado.

Nesse ponto, é preciso atenção. Afinal, continua sendo igualmente necessário tomar cuidados para garantir o sucesso no lançamento. Isso inclui o investimento em canais de comunicação, para uma adequada divulgação diante do público, por exemplo.

Além disso, é importante que haja o monitoramento da recepção do público em todo o momento. Esse acompanhamento ajuda a entender se ainda é necessário realizar melhorias. Ainda, permite a implementação de um pós-venda eficiente.

Qual é a importância do design thinking?

Como você notou, o design thinking surge para estimular o melhor de cada membro de um projeto ou empresa. Desse modo, ele pode ser usado para reduzir custos. Afinal, não é necessário aumentar consideravelmente os custos de implementação.

Isso porque existe uma maior compreensão do que precisa ser feito em um projeto e quais etapas devem ser seguidas para alcançar um objetivo. Sem a metodologia as operações poderiam se tornar mais desorganizadas — o que diminuiria a vantagem competitiva e a motivação dos envolvidos.

Outras provas da importância do design thiking são os cases de sucesso de algumas empresas que adotaram a metodologia. Por exemplo, a Netflix, que buscou entender a rotina dos usuários e a partir disso criou otimizações focadas nos dados coletados e nas preferências de cada um.

Como começar a utilizar o design thinking?

Diante dos impactos positivos que a metodologia proporciona, é importante conhecer algumas dicas de como utilizá-la no projeto e obter tais ganhos. Logo, saiba que um passo fundamental é promover uma cultura que abrace o design thinking.

Isso pode se tornar mais forte ao contar com uma equipe multidisciplinar. Nela, cada membro tem expertise em uma área diferente, mas com um propósito em comum: promover ideias que aproximem o público.

Outros aspectos que fazem parte da cultura do design thinking e precisam ser incentivados são a colaboração, a cooperação e a criatividade. Esses atributos são fundamentais para que os problemas existentes sejam resolvidos com empatia e de acordo com os objetivos empresariais.

Quais ferramentas utilizar no design thinking?

Para otimizar o uso do design thinking, existem ferramentas que podem ser adotadas no processo. Entre elas temos o já citado brainstorming, que estimula o compartilhamento de ideias entre todos os membros da equipe.

Além disso, o mapa mental pode ser útil. Ele geralmente utilizado recursos gráficos, como figuras, cores, desenhos, quadros etc. para mostrar ideias. Assim, pode tornar o processo criativo mais claro e organizado, para que os pensamentos e as ideias surjam com fluidez e organização.

Como você pôde notar, existem diversas ferramentas e caminhos para aplicar as diferentes etapas do design thinking de forma eficaz. Seja qual for a sua escolha, é preciso implementar com eficiência, para obter os ganhos da metodologia e potencializar o seu projeto.

O nosso conteúdo ajudou? Aproveite a visita para assinar a nossa newsletter e acompanhe as atualizações de postagens que podem fazer a diferença na sua vida profissional!