Atuar no mercado financeiro exige preparo adequado para apoiar os investidores e seguir as regras do setor. Por isso, ter uma certificação do mercado financeiro costuma ser interessante para quem deseja ser um profissional da área ou quer saber mais sobre o tema.

Esse exame de qualificação, muitas vezes, é exigido pelos órgãos competentes para o registro e autorização de atuação profissional. Então é importante entender como os principais programas de qualificação funcionam e quais podem ser os mais adequados para a sua realidade.

A seguir, conheça as principais certificações do mercado financeiro e entenda o que elas oferecem!

O que são as certificações do mercado financeiro?

As certificações financeiras são programas de qualificação desenvolvido por entidades competentes e autorizadas para a função. Elas apresentam uma metodologia específica que serve para avaliar o conhecimento e o preparo dos candidatos sobre diferentes temas do mercado financeiro.

Mediante aprovação nesses exames, há a comprovação da qualificação técnica sobre os temas abordados. Considerando a variedade de carreiras no mercado de capitais, existem tipos distintos de certificados do mercado.

Qual o objetivo de obter essas certificações?

Agora que você sabe o que são as certificações do mercado financeiro, é mais fácil compreender os seus objetivos. Na prática, a principal função das provas é profissionalizar o mercado, garantindo que os investidores tenham o apoio de quem detém o conhecimento necessário para as funções.

Assim, ao obter as melhores certificações do mercado financeiro, você poderá atuar de maneira regulamentada junto aos órgãos competentes. Para ser um assessor de investimentos, por exemplo, é obrigatório ter a certificação compatível, cadastro na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e vínculo com um escritório de investimentos.

A realização de certificações também pode estimular você a desenvolver os conhecimentos e a mantê-los atualizados. Certas certificações são obrigatórias para atuar na profissão. Mas mesmo as que não são exigidas trazem vantagens em relação à preparação e ao destaque no mercado.

Quais são as certificações do mercado financeiro?

Embora todas as certificações funcionem de modo semelhante, elas têm objetivos e características variadas. Por isso, é importante conhecer os diferentes tipos de certificação no mercado financeiro e o que cada uma oferece.

A seguir, veja quais são os principais exames de qualificação do setor e entenda como eles podem ajudá-lo a crescer profissionalmente!

CPA-10

A Certificação Profissional Série 10 da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (ANBIMA) é voltada para profissionais de instituições ligadas a produtos financeiros básicos — como bancos de varejo.

Quem oferece informações ou vende investimentos mais simples precisa dessa certificação. A aprovação no exame depende de um desempenho mínimo de 70% de acertos. Ao total, a prova conta com 50 questões.

Essa é uma das certificações mais básicas e que pode ser realizada de maneira ampla. Assim, tanto os profissionais de empresas que aderem ao Código de Certificação ANBIMA quanto interessados em investimentos podem recorrer ao CPA-10.

CPA-20

Já a certificação profissional CPA-20, também da ANBIMA, é voltada para a distribuição de investimentos no segmento private, de alta renda e para clientes institucionais.

Esse exame também pode ser realizado por qualquer profissional ou interessado no tema. A aprovação depende de um desempenho de 70% das 60 questões apresentadas.

CEA

Outra possibilidade para considerar é a Certificação ANBIMA de Especialistas em Investimento (CEA). Ela também está entre as certificações do mercado financeiro que não têm pré-requisitos. Porém, a prova é mais completa e engloba temas como:

  • renda fixa;
  • renda variável;
  • fundos de investimento;
  • gestão de carteira;
  • planejamento de investimento e mais.

Ao total, são 70 questões, que podem incluir fórmulas matemáticas e referentes à área econômica. O desempenho mínimo exigido para a aprovação é de 70%.

AAI

A Certificação para assessores de investimento — antigamente conhecidos como agentes autônomos de investimento (AAI) — é desenvolvida pela Associação Nacional das Corretoras de Valores (Ancord). Já a aplicação é de responsabilidade da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Essa certificação é voltada para os profissionais que desejam se tornar assessores de investimento — e é obrigatória para o registro da função na CVM.

O exame é composto por 80 questões e exige pontuação mínima de 70%. Além disso, algumas áreas de conhecimento também exigem acerto mínimo de 50% das questões da prova para aprovação.

CNPI

O Certificado Nacional do Profissional de Investimento (CNPI) foi desenvolvido e é aplicado pela Associação dos Analistas e Profissionais de Investimentos do Mercado de Capitais (Apimec). Essa certificação é obrigatória para a atuação como analista de investimento.

Os temas da prova envolvem finanças corporativas, consultoria, administração de carteira e mais. Além disso, existem três exames:

  • Conteúdo Brasileiro (CB);
  • Conteúdo Global 1 (CG1);
  • Conteúdo Técnico 1 (CT1).

Cada uma dessas provas tem 60 questões e realizá-las depende do tipo de certificação. Ela pode formar analistas técnicos e analistas plenos. Para obter a CNPI-T voltada para analistas técnicos, é necessário fazer as provas CB e CT1.

Enquanto isso, para obter a CNPI-P, de analista pleno, é preciso concluir as três provas. Ademais, o certificado exige acertar, no mínimo, 40 questões de cada exame, com um mínimo de 50% de desempenho em cada módulo.

CFP

A certificação Certified Financial Planner (CFP) é aplicada pela Associação Brasileira de Planejamento Financeiro (Planejar). Ela tem caráter internacional e serve para formar planejadores financeiros profissionais.

Entre os temas contemplados, estão:

  • gestão de investimentos;
  • planejamento sucessório;
  • planejamento fiscal;
  • gestão de riscos e mais.

Para ser certificado, é preciso ser aprovado no exame, o que exige a aprovação mínima de 70 das 140 questões. Além disso, é necessário ter concluído curso de nível superior, adotar o código de conduta e comprovar experiência no atendimento de clientes pessoas físicas por, no mínimo, 5 anos.

PQO

O Programa de Qualificação Operacional (PQO) é apresentado pela B3, a bolsa de valores brasileira. A aplicação é de responsabilidade da Ancord e traz temas como:

  • custódia de investimentos;
  • liquidação e operações;
  • risco e compliance e mais.

Essa certificação do mercado financeiro não tem pré-requisitos e pode ser realizada por qualquer interessado. No total, são 60 questões e o desempenho mínimo exigido é de 60% do exame.

Como você acompanhou, cada certificação do mercado financeiro tem regras e objetivos específicos. Ao conhecer esses programas, você pode escolher as alternativas ideais para atender às suas metas pessoais e profissionais e consegue se preparar para conseguir a aprovação.

Gostou dessas informações? Se tiver interesse na produção de conteúdo qualificado e especializado no mercado financeiro, fale conosco da ABContent!