Entre os principais objetivos das empresas ao investir em um site ou blog, estão atrair clientes, desenvolver relacionamentos e fechar vendas. Para isso, é imprescindível pensar na experiência do usuário durante a navegação. É nesse contexto que surge a arquitetura da informação.

Esse conceito ajuda o visitante a se situar na página da web, permitindo que ele utilize as funcionalidades corretamente ou encontre os dados desejados com facilidade. Por essa razão, o conceito se torna tão interessante em relação ao marketing da empresa.

Neste artigo, você entenderá mais sobre a arquitetura da informação e como aplicá-la em seu negócio!

O que é arquitetura da informação?

Segundo o dicionário, a arquitetura também pode ser definida como o conjunto de elementos que perfazem um todo. Dessa maneira, é possível compreender que a arquitetura da informação é um processo que organiza todos os componentes de um site, aplicativo, blog ou software.

Entretanto, ela não está atrelada somente ao mundo digital. Esse conceito também influencia materiais impressos, objetos e, até mesmo, placas em estabelecimentos e outros locais, como as sinalizações de um aeroporto.

Desse modo, a arquitetura da informação visa favorecer a experiência do usuário, já que facilita a navegação do visitante pelos conteúdos. Logo, ela tem a função de ajudar as pessoas a encontrarem o que procuram.

Para melhor entendimento sobre o termo, considere o rótulo de um produto alimentício. Na frente, é comum encontrar o nome e a descrição do conteúdo da embalagem. Já no verso, é normal estarem listados os ingredientes, o modo de preparo e a tabela nutricional.

Você encontra esses dados facilmente devido à organização das informações que segue uma estrutura compreensível. O mesmo ocorre na arquitetura da informação no mundo digital. No caso, os dados seguem uma lógica simples, que considera as possibilidades de interação do usuário.

Para isso, os desenvolvedores precisam se preocupar em fazer a distribuição das informações de maneira coerente, hierárquica e conectada. Com isso, é possível melhorar a percepção do usuário sobre o site ou sistema.

Por que a arquitetura da informação é importante?

Como você viu, a arquitetura da informação tem como finalidade deixar a página ou software fácil de navegar. Assim, o usuário pode aproveitar todo o conteúdo, sem ter dificuldade para acessá-lo. Mas por que isso é tão importante?

Um dos principais motivos se relaciona aos princípios do marketing digital citados no livro “Não Me Faça Pensar”, de Steve Krug.

Existem 4 perguntas que devem ser respondidas quando alguém entra em um site:

  • O que é isso?
  • O que o site oferece?
  • O que é possível fazer aqui?
  • Por que devo continuar aqui e não em outra página?

Nesse sentido, pode-se considerar que um bom trabalho de arquitetura de informação permite que o usuário responda a essas questões com facilidade. Portanto, o conceito possibilita o desenvolvimento de páginas com qualidade na usabilidade e navegação.

Agora, imagine um blog que não apresenta essas condições. Ao navegá-lo, é provável que o usuário se sinta perdido ao procurar pelos conteúdos. Isso pode gerar diversos cenários negativos. Por exemplo, um dos principais é a migração do visitante para um site concorrente.

A experiência também costuma gerar frustração no usuário, que pode associar a sensação negativa vivenciada diretamente à marca, empresa, produto ou serviço. Isso significa que, ao não ter uma página que pensa na usabilidade e navegabilidade, a sua empresa corre o risco de ter prejuízos.

Além disso, pode fazer com que os investimentos e esforços direcionados às estratégias do site ou blog, como a produção de conteúdo de qualidade, podem não trazer o retorno esperado.

Inclusive, é comum que as companhias não associem a baixa conversão a essa dinâmica apresentada em seu site ou blog por falta de conhecimento sobre a relevância dessa estratégia. Contudo, tenha em mente que a arquitetura de informação tem um papel importante no marketing.

Quais são os componentes da arquitetura da informação?

Após entender a importância da arquitetura da informação, é interessante que você conheça os componentes que constituem esse conceito. A seguir, confira alguns dos principais elementos:

Organização esquemática e estruturas

Esse fator se refere ao modo de classificação e estruturação das informações. Logo, trata da criação de categorias onde os dados são inseridos. Por exemplo, em um site de roupas, as informações das peças podem ser categorizadas em cores, tamanho, segmento, modelo etc.

Sistema de rotulagens

Já o sistema de rotulagens se relaciona à representação da informação. Portanto, consiste em nomear os conteúdos de maneira adequada à empresa. Exemplo: você pode perceber que em alguns sites a seção institucional é nomeada como “About me”, em outros “Quem somos”, além de outras variações.

Nesse caso, é preciso considerar o público para entender o idioma ideal e o tipo de linguagem, que pode ser mais formal ou informal, por exemplo.

Sistema de navegação

Outro componente é o sistema de navegação, que diz respeito a como os usuários navegam pelo site. Ele ainda se refere a como os visitantes se movem de um segmento para o outro quando a informação é acessada.

Seu objetivo é situar o cliente no site e mostrar a rota ideal para ele encontrar o que procura de maneira simples.

Sistemas de pesquisa

Por fim, o sistema de pesquisa envolve as caixas de busca que podem ser disponibilizadas no site, blog ou aplicativo. Esses recursos ajudam o usuário a encontrar o que deseja de forma rápida e prática.

Com a ferramenta, basta que o visitante digite um termo ou frase na barra de pesquisa para ser direcionado aos conteúdos que podem corresponder ao que ele procura. Isso pode otimizar a experiência de navegação.

Como começar a utilizar a arquitetura da informação no marketing no seu negócio?

Como você aprendeu, a arquitetura da informação é um elemento imprescindível para o sucesso do site ou blog. Por essa razão, é importante que você entenda como utilizar esse conceito no seu negócio.

Ao montar a estrutura da sua página com base nessas técnicas, você potencializa as oportunidades geradas pelo canal de conteúdo e de vendas. Dessa maneira, existem passos baseados em cada componente da arquitetura da informação que vão ajudar a implementá-la na empresa.

Confira:

  • listagem e hierarquização das seções do site: crie as seções e as categorias do site e priorize as mais importantes em local de destaque e no menu principal;
  • rotulação: coloque nome nas seções e categorias do site — quanto mais simples forem os termos, melhor;
  • criação do mapa do site: faça um diagrama hierárquico descrevendo o fluxo que você acha mais adequado para navegação no site;
  • desenho da “planta baixa” (wireframes) do site: desenhe os “wireframes” — esqueletos que preveem as estruturas das páginas principais dos sites.

Ao longo deste texto, você conferiu como a arquitetura da informação é relevante para o marketing da página do seu negócio. Por meio dela, o usuário pode navegar pelos conteúdos de maneira simples e prática, tendo um melhor aproveitamento da experiência do seu site ou blog.

Gostou do conteúdo? Então saiba que o conteúdo é um recurso importante para captação de leads e conversão de vendas: entenda como produzi-lo para o site da sua empresa!