Sites são ótimas plataformas para divulgação de produtos, serviços e conteúdos. Ao criá-los, as expectativas são altas e o objetivo é apenas um: ganhar destaque em meio ao mercado disponível na internet. E a palavra-chave é exatamente essa: destaque! Para isso, tenha o SEO On Page como um grande aliado.

Ser ranqueado no Google em posições que garantirão muitos acessos é um trabalho árduo, mas que não esconde muitos segredos. Algumas fórmulas e técnicas podem lhe ajudar com essa tarefa sem que seja necessário realizar grandes investimentos.

Esse é caso dos SEO On Page e do SEO Off Page. O foco desse artigo será no SEO On Page.

Mas, afinal, você sabe o que é SEO On Page e como fazer? Continue a leitura para descobrir!

SEO On Page: o que é e como fazer?

O SEO On Page é um conjunto de estratégias utilizadas para a otimização de uma página. A técnica é frequentemente atualizada pelo Google com apenas um objetivo: melhorar a experiência do usuário.

No entanto, por mais que mudanças sejam feitas, as bases para realizar um bom SEO On Page continuam sendo as mesmas: títulos relevantes; bons subtítulos; meta-descrição; palavras-chave específicas; bons conteúdos; dentre outros.

Confira, abaixo, esses e outros tópicos e como trabalhar bem cada um deles. E, assim, se posicionar fortemente no seu setor.

1.   Títulos e Subtítulos

Quando coloca-se em prática o SEO, o título da página é uma peça fundamental. Para alavancar uma página de maneira correta, é importante utilizar títulos descritivos e que mostrem exatamente sobre o que você irá falar.

É crucial também utilizar palavras-chaves de relevância (que sejam buscadas pelo seu público-alvo) e deixar de lado os estrangeirismos, como, por exemplo, o uso da palavra “home”, que pode dificultar o entendimento do Google.

Saber ordenar as palavras também é outro ponto. Isso porque as primeiras palavras têm maior relevância que as últimas, portanto, priorize inserir a sua palavra-chave no início do título.

O número de palavras também irá fazer diferença no ranqueamento. Quanto menos palavras, maior a importância das mesmas.

Além disso, é importante respeitar a hierarquia dos títulos e subtítulos. O seu título deve estar formatado como Título 1 – ou Header 1 (H1), enquanto os subtítulos devem ter formato H2, H3 (caso seja um subtítulo dentro do H2), H4 (caso seja um subtítulo dentro do H3), e assim sucessivamente. Sempre respeitando a ordem hierárquica do conteúdo.

Isso contribui não só para que o conteúdo fique visualmente mais agradável, mas para que os motores de busca percebam a organização dos conteúdos.

2.   Meta Descrição

A meta descrição (ou meta-description) é o resumo do conteúdo da página. Este tem como intuito mostrar para o usuário o tema abordado na página, convencendo-o de que vale a pena clicar no link para ler o conteúdo. Sendo assim, preencher a meta descrição fará com que seu site se torne atrativo, aumentando a taxa orgânica de visualização.

Cada página deve ter sua meta descrição com, no máximo, 160 caracteres. Para torná-la ainda mais atraente, lembre-se de colocar chamadas para ação (call-to-action), como, por exemplo, ‘conheça esse produto’, ‘veja como fazer’, ‘faça uma visita’.

3.   URL da página

A personalização da URL é outro fator que mudará a maneira que as pessoas enxergam seu site e irá melhorar o seu ranqueamento. Portanto, invista em palavras fáceis e evite a utilização de acentos e cedilha. Além disso, lembre-se de relacionar a URL com o assunto que será tratado no texto.

É importante evitar a utilização de URLs com números aleatórios ou parâmetros, como por exemplo, “www.meusite.com.br/ct136781”.

Dê prioridade a links como: “www.meusite.com.br/fazendo-a-viagem-dos-sonhos”.

Dessa maneira, o público terá mais facilidade para saber o que está acessando e, consequentemente, compartilhar com outras pessoas.

Além disso, utilize traços (-) para separar as palavras, evitando o uso de underline (_) ou outros caracteres especiais.

4.   Velocidade do site

Quantas vezes você já deixou de acessar um conteúdo porque a página estava demorando muito para abrir? Essa ação é muito comum entre os usuários que prezam por um acesso rápido e prático.

Caso seu site não abra com rapidez, o usuário pode desistir e tentar outro. O Google, por exemplo, recomenda que o tempo de carregamento do seu site varie de 0,5 segundo a 2 segundos. Caso contrário, estará perdendo destaque.

Para isso, é válido lembrar de não colocar imagens muito pesadas ou instalar plugins que possam comprometer a velocidade e o desempenho do site. Além disso, lembre-se de revisar o código fonte para se certificar de que não há nenhum erro. Esses pequenos detalhes podem acabar com o bom posicionamento do seu site.

Também é válido lembrar de:

  • habilitar o cache, para que o site não fique sobrecarregado;
  • escolher uma plataforma de hospedagem de confiança;
  • realizar testes de velocidade frequentemente;
  • utilizar ferramentas de monitoramento de desempenho.

Com isso, você criará uma audiência fiel, que consegue ler suas publicações e que segue seus conteúdos regularmente.

5.   Desenvolvimento de conteúdos ricos e relevantes

Outro ponto muito importante para a otimização do SEO On Page é o desenvolvimento de bons conteúdos totalmente originais (sem plágio) e com informações relevantes ao seu público.

E, por falar nisso, é válido lembrar: conteúdo não se resume a texto. Use e abuse de imagens, vídeos e áudios. Esses formatos tornarão seu conteúdo muito mais rico e interessante para seu público e para os motores de busca.

Nesses casos, você pode utilizar tanto imagens pagas quanto gratuitas. A escolha entre uma ou outra vai depender dos produtos e serviços oferecidos por sua empresa e/ou site de conteúdos.

Além disso, você também pode fazer o uso de gráficos e/ou infográficos. Eles irão gerar maior credibilidade ao que está sendo dito no texto, facilitando o compartilhamento das ideias propostas em seu conteúdo.

Atualmente, diversas plataformas permitem a criação de mídias de maneira simples e prática, como o  Canva, ajudando o trabalho dos criadores de conteúdo.

6.   Links Internos e Externos

Os links internos também são uma estratégia fácil de utilizar e que, geralmente, agradam muito o público.

Ao fazer referência a um artigo publicado anteriormente, por exemplo, você pode utilizar os links para levar o leitor direto ao que está sendo mencionado. Dessa maneira, você facilita o acesso do usuário e ainda cria uma navegação maior por seu site.

Assim, você aumentará a taxa de retenção do leitor em seu site, o que irá gerar boas métricas aos motores de busca. Além disso, o leitor ficará ainda mais próximo de sua marca.

No caso dos links externos (ou seja, que levam o público para outros sites), você pode utilizá-los ao citar uma pesquisa, marca ou serviços de outra empresa em seus textos. Isso mostrará conhecimento e pode dar mais credibilidade ao que diz.

Mas, cuidado: não abuse dos links externos. Afinal, você não deseja que o leitor saia do seu site.

Além disso, é muito importante evitar o uso de links descontextualizados, mesmo que pagos. Essa situação deixa explícito que o objetivo do site é apenas vender um produto ou serviço, sem levar em consideração a experiência do leitor.

Por fim, busque manter seu conteúdo coerente e, com o tempo, as páginas do seu site estarão cada vez melhor ranqueadas. E lembre-se: a frequência das publicações deve ser a maior possível para que, no médio prazo, a estratégia lhe traga bons resultados!

Há outras técnicas que costuma usar para aperfeiçoar seu SEO On Page? Então deixe aqui nos comentários! Aproveite e compartilhe as dicas em suas redes sociais para ajudar seus amigos.