Aqui no blog da ABContent você encontra diversos conteúdos falando sobre SEO e sua importância para as estratégias de Marketing Digital. Para quem ainda não teve a oportunidade de se inteirar nos conceitos, é importante saber que SEO é um conjunto de regras e boas práticas para facilitar que uma página da internet seja encontrada por usuários que estão em busca de um determinado assunto.

Quanto mais adequado é o SEO de uma página (seja de um site de uma empresa, um blog, etc), melhor será seu ranqueamento nos sistemas de busca, como Google e Bing. Com isso, surgem as chances de ampliar a audiência, especialmente o tráfego orgânico da página.

E como o SEO é formado por um conjunto de práticas, é essencial saber que esse “conjunto” está sempre em transformação. E uma das inovações é o uso de canonical tags. Quer aprender como utilizá-las e qual o conceito por trás delas? Então fique atento ao post de hoje!

Qual é o conceito de canonical tag?

Canonical tag é um formato de marcação que é inserida no código fonte das páginas da internet, a fim de definir que se trata de um conteúdo original. Ela serve para os algoritmos dos motores de busca da internet, como os utilizados em sistemas de pesquisa como Google, Yahoo Search e Bing.

Sua utilidade é similar a um alerta para os algoritmos. Uma canonical tag “avisa” aos sistemas de busca que aquela página é exatamente a buscada pelo usuário ao realizar a pesquisa.

Isso ocorre porque é fácil encontrar páginas iguais com URLs diferentes, tudo isso dentro de um mesmo site. Esse tipo de variação do endereço acontecem, em muitos casos, naturalmente, ou seja, não foi forçada ou proposital.

Contudo, essa duplicidade é prejudicial para o ranqueamento. E é aqui que entra a canonical tag. Ela vai apontar para o algoritmo qual das páginas é a prioridade, ou melhor, qual delas é a original, que deve ser apontada no sistema de pesquisa.

Por que deve-se usar uma canonical tag?

Pense da seguinte maneira: um dos principais desafios para uma página da web ter bom ranqueamento é a situação de conteúdo duplicado. Em termos práticos, estamos falando apenas de variações de endereço, mas que estão dentro de um único endereço.

Veja abaixo alguns exemplos dessa duplicidade:

  1. enderecodosite.com
  2. enderecodosite.com/home

Quem se mantém ligado na URL de um site, com certeza já percebeu esse tipo de duplicação. No exemplo acima, fica evidente que ambos os endereços estão direcionando para a home do site, e isso é um desafio para os algoritmos. Afinal, como saber qual é a mais indicada para ser indexada na pesquisa?

Estamos falando de algoritmos, não pessoas. Eles não sabem determinar sozinhos qual página é a mais adequada, apenas analisam a duplicidade do conteúdo. Cabe à gestão do site eliminar essa dúvida, eliminar o conteúdo duplicado e, assim, evitar perda de ranqueamento.

E essa solução é a canonical tag. Ao ser aplicada na página certa, o algoritmo passa a analisar aquela página como fonte original do conteúdo e, com isso, ela será levada em consideração para o ranqueamento.

E qual é a serventia de uma canonical tag?

Você pode até estar pensando algo como “ótimo, mais um procedimento que preciso fazer, mais trabalho acumulado”. Ninguém gosta de agrupar mais demanda à sua lista de tarefas, contudo, a necessidade de aplicar a canonical tag surgiu para proteger o sites contra uma disputa desonesta.

Muitos endereços eletrônicos utilizam conteúdos duplicados de forma maliciosa, visando ampliar o ranqueamento com páginas diferentes, mas que dizem a mesma coisa.

Os sistemas de busca, especialmente o Google, estão de olho nessas práticas antiéticas e, por consequência delas, se tornou necessário criar algumas medidas, dentre elas, o uso das tags canônicas.

Os algoritmos também foram atualizados para detectar duplicações, por isso, empresas que não executam duplicações propositais também serão punidos. Cabe à elas usar as canonical tags e otimizar a gestão das páginas de seus sites.

Quando e como usar?

O primeiro indício do momento certo ocorre quando o motor de busca não consegue identificar qual versão do conteúdo deve ser exibida. Se o site cria múltiplas páginas para o mesmo conteúdo, a canonical tag deve ser usada agora mesmo!

Para aplicar a tag canônica é preciso definir o domínio canônico, ou seja, qual URL é a preferencial para indexação. Então, vá nas páginas que você quer que sejam reconhecidas como fonte original e adicione uma tag de link ao cabeçalho do código HTML.

Digamos que, para determinar o endereço “www.sitedaempresa.com” com uma tag canônica, o código será algo parecido com <link rel=“canonical” href=” www.sitedaempresa.com”/>.

Repita o uso do código em todas as páginas do site que precisam ser tornadas canônicas.

Aqui vai uma dica essencial: o melhor jeito de executar essas medidas é por meio de um CMS, um sistema de gerenciamento de conteúdo de site, como é o caso do WordPress.

Melhores práticas para o uso de tag canônicas

Aqui vai uma lista rápida de procedimentos que você deve adotar ao usar as tags canônicas.

  1. Use letras minúsculas nas URLs. Dê prioridade à caixa baixa no servidor e faça o mesmo com as tags;
  2. Use a versão correta do domínio, ou seja, preste atenção se o seu site usa SSL e se o endereço é iniciado com “HTTP” ou “HTTPS”;
  3. Use apenas uma canonical tag por página. Se você aplicar duas, os algoritmos irão ignorar ambas;

Agora que você já sabe o que é uma canonical tag e como utilizá-las, não se esqueça de começar as mudanças agora mesmo! Quanto mais rápido elas forem inseridas no código fonte do seu site, mais rápidas serão as melhorias no ranqueamento.

Aproveite o espaço abaixo e compartilhe com nossa equipe e leitores quais são as estratégias adotadas pela sua empresa para obter um bom ranqueamento nas páginas do site ou blog!