Nos últimos anos, smartphones e tablets se tornaram muito populares e tiveram seus preços democratizados. Com isso, houve uma expansão natural do uso dessas ferramentas para diversas tarefas, como acessar a internet, se comunicar ou simplesmente se divertir com jogos e aplicativos.

E por falar nos apps, basta uma pequena busca nas lojas de aplicativos para perceber que existem muitos apps feitos por empresas, tanto para apresentar seus produtos quanto para oferecer soluções para os seus clientes. A expansão mobile impulsionou a indústria de programação de aplicativos e, é claro que a “Big G” não ficaria inerte em meio a tantas mudanças.

É nesse contexto que surge o Google Firebase. Uma ferramenta facilitadora para desenvolvimento de apps para web e dispositivos móveis. Suas funcionalidades permitem uma criação facilitada desse tipo de recurso tecnológico, o que é benéfico para as empresas que precisam ampliar seu volume de negócios e querem utilizar a tecnologia como meio facilitador para essa missão.

No post de hoje, confira como a utilização do Google Firebase pode ser aplicada para melhorar os resultados empresariais e potencializar as estratégias de marketing digital. Boa leitura!

O que é Google Firebase?

O Firebase do Google é uma plataforma digital que tem como finalidade auxiliar o desenvolvimento de aplicativos para web e dispositivos móveis.

É necessário saber que não se trata de um recurso para programação e criação de aplicativos do zero, mas sim uma ferramenta que facilita a inclusão de alguns recursos para tornar os apps corporativos mais completos e funcionais, o que, em tese, concede mais qualidade à ferramenta desenvolvida pela empresa.

O objetivo com o uso do Firebase é melhorar o rendimento dos apps por meio da implementação de funções que fazem deles instrumentos mais seguros, analíticos, estratégicos e com usabilidade otimizada.

A atuação do Firebase é no back end dos aplicativos. Para quem não é muito ligado na área de desenvolvimento de tecnologias digitais, o back end é como o alicerce do app. É na programação de back end que são desenvolvidas as principais funcionalidades de um aplicativo e sua estrutura de funcionamento.

Com isso, fica evidente que o front end, parte responsável pela interface e estética (ou seja, que interage diretamente com o usuário) deve ser feita com outro tipo de recurso, e não com o Google Firebase.

São suportados alguns tipos de linguagem de programação, veja a lista:

  1. C++
  2. Java
  3. Javascript
  4. Node.js
  5. Objective-C
  6. Swift

Como usar o Google Firebase para melhorar meu negócio?

A estrutura do Firebase se divide em quatro campos distintos de atuação: Desenvolvimento (develop), Análise de resultados (analytics), Crescimento (grow) e Ganhos (earn). Veja agora como cada categoria atua:

Analytics

Considerado por muitos o cerne do Firebase, a solução de análise de resultados e os indicadores de desempenhos geram métricas de aplicação e servem para analisar o comportamento do usuário e obter dados estratégicos sobre o público utilizador do app e o sucesso das iniciativas executadas pela empresa por meio do aplicativo.

Develop

Aqui se concentram diversas funções cujos objetivos são poupar tempo na criação do aplicativo e auxiliar na construção de um app completo e funcional. Aqui, encontram-se recursos como:

  1. Cloud Messaging: entrega e recebimento de mensagens e notificações;
  2. Authentication: recurso para autenticação de usuários e controle de uso;
  3. Realtime Database: banco de dados em nuvem e sincronizado em tempo real;
  4. Storage: armazenamento de arquivos;
  5. Hosting: serviço de hospedagem HTML, CSS e Javascript para site;
  6. Remote Config: permite alterações no app sem exigir download de atualização;
  7. Test Lab: infraestrutura de teste do aplicativo;
  8. Crash Reporting: criação de relatórios de erros detalhados.

Grow

Grupo de recursos voltados para envolvimento e conquista de usuários para o app.

  1. Notifications: gerencia campanhas de notificações no app. Ganha mais força quando integrado ao Analytics;
  2. App Indexing: aumenta a visibilidade do app nas pesquisas do Google;
  3. Invites: solução para indicações e compartilhamento de apps. Permite que um usuário compartilhe o app, seja por e-mail ou mensagem;
  4. AdWords: recurso vinculado ao Firebase Analytics que permite apresentar anúncios segmentados e otimização de campanhas.

Earn

Essa função é executada pelo AdMob, um recurso que permite lucrar com os aplicativos por meio da exibição de anúncios segmentados dentro do app, monetizando sem prejudicar a experiência de uso.

Atenção: Como você pôde conferir, o Google Firebase oferece uma boa gama de recursos para desenvolvimento e melhoria de aplicativos, contudo, nem todos estão disponíveis para as iOS, já que o grande foco da Big G é o seu sistema operacional mobile, o Android.

Além disso, é importante ressaltar que nem todos são grátis, e parte da monetização tem relação com o volume de uso. Para se inteirar sobre os preços, veja aqui a tabela de monetização do Firebase.

Como o uso do Firebase potencializa meus resultados?

A utilização do Google Firebase abre um leque de opções de melhoria e inclusão de recursos em um aplicativo, tudo isso com foco no desenvolvimento de uma solução completa para a empresa e seu público-alvo.

Contudo, além de permitir a construção de um app mais completo, o Firebase entrega inteligência de negócios por meio da sua ferramenta de análise e abre uma nova frente de negócios, por meio da monetização do aplicativo com propagandas.

Como tudo que orbita a internet, os aplicativos geram dados. Além disso, eles fornecem estrutura para executar campanhas de marketing. Com isso, o app se torna um meio de captação de dados estratégicos, além de se posicionar como um recurso de atração para os produtos/serviços da empresa.

Aqui fica um ponto de atenção: os resultados aparecerão se o seu app for:

  1. Útil para o público;
  2. Útil para o seu modelo de negócios;
  3. Simples de operar;
  4. Construídos com qualidade e sem erros de programação e usabilidade.

Cabe à empresa saber se um aplicativo vai ser realmente útil para sua estratégia. Caso contrário, nem mesmo a adoção do Firebase vai resolver o problema.

Concluindo

Resumindo: se a sua empresa pretende desenvolver um aplicativo e quer se municiar de recursos que otimizam a qualidade do app e integram soluções estratégicas, o Firebase é a solução ideal, dado sua simplicidade de uso e compatibilidade com as principais linguagens de programação.

Sua empresa está desenvolvendo um app? Já usa um app como ferramenta de negócios e divulgação? Compartilhe suas opiniões sobre o tema e as experiências que você vivenciou aqui nos comentários!