Para ampliar o potencial de crescimento de sua empresa, vale a pena conhecer as teorias que analisam as dinâmicas do mercado. Entre as alternativas existentes, compreender as 5 forças de Porter pode fazer toda a diferença.

Por meio dela, é possível traçar uma estratégia que permita ao seu negócio se destacar em relação à concorrência, por exemplo. Porém, isso só será viável ao compreender por completo como essas forças agem e como usá-las a favor da sua empresa.

Quer entender mais sobre as 5 forças de Porter e como elas influenciam o sucesso de seu empreendimento? Então acompanhe a leitura deste artigo!

Quem é Michael Porter?

Antes de analisar as 5 forças de Porter, é importante compreender quem é seu criador, Michael Porter. Nascido em 1947, em Michigan, nos Estados Unidos, ele foi professor e teórico de negócios da Harvard Business School.

Com foco nas áreas de administração e economia, Porter se notabilizou por conta da publicação de um artigo intitulado “As cinco forças competitivas que moldam a estratégia”, de 1979.

No texto, Porter discorreu sobre uma teoria cujo objetivo era identificar os principais aspectos que definem a competitividade de um mercado. A teoria ficou conhecida como as 5 forças de Porter.

Quais são as 5 forças de Porter e o que elas nos trazem de informação?

Agora que você sabe quem foi Michael Porter e como ele ficou conhecido a partir de sua teoria, é possível compreender suas ideias. Para tanto, conheça quais são as 5 forças de Porter e quais informações elas trazem!

1. Barreiras de entrada

A primeira força de Porter analisa como um negócio pode ser ameaçado pela entrada de novas empresas no mesmo mercado. Dessa forma, ter uma barreira de entrada tende a aumentar a competitividade empresarial, enquanto ter menos obstáculos eleva o risco.

Se a companhia está vulnerável, quer dizer que qualquer pessoa pode ingressar no mercado, não havendo necessidade de grande esforço para isso. Por outro lado, existem casos em que o setor apresenta barreiras fortes e que exigem altos investimentos de entrada, por exemplo.

Portanto, a primeira força de Porter diz respeito à facilidade ou dificuldade que novos empreendimentos têm de adentrar ao mercado. A força da barreira de entrada depende, em muitos sentidos, das ações tomadas pelas empresas que fazem parte da concorrência atual.

2. Rivalidade entre a concorrência

Outra força de Porter é conhecida como rivalidade entre a concorrência. Essa força envolve o fato de as empresas mapearem seus concorrentes, uma vez que eles apresentam grande influência na capacidade de o negócio atrair novos clientes.

Afinal, é a partir das opções do mercado que os consumidores escolherão uma ou outra companhia. Portanto, os competidores de um setor sempre disputam a preferência do consumidor.

Esse nível de rivalidade pode ser influenciado por diversos fatores, tais como:

  • número de concorrentes semelhantes em tamanho e potência;
  • nível de crescimento da indústria no geral;
  • diversidade ou semelhança entre os produtos ou serviços;
  • preço dos custos fixos ou de armazenamento.

3. Poder dos compradores

O poder dos clientes é mais uma força que influencia o nível de competitividade de determinado negócio em um determinado setor. Em termos práticos, quanto maior for o poder dos compradores, mais eles poderão pressionar vendedores a baixar seu preço ou a aumentar a qualidade do produto ou serviço.

Isso ocorre porque os clientes tendem a querer comprar mais, mas pagando menos. Logo, eles acabam jogando os concorrentes uns contra os outros na disputa pelo mercado.

Dessa forma, esse poder é maior quando:

  • os clientes são poucos e compram grandes volumes;
  • há padronização dos produtos ou serviços que consomem;
  • os custos de mudança de fornecedor são baixos;
  • os produtos ou serviços não ajudam o comprador a economizar.

4. Poder dos fornecedores

Assim como os compradores influenciam a competitividade de um nicho de mercado, isso também ocorre com os fornecedores. Nesse caso, o poder dos fornecedores aumenta com a dependência de um empreendimento em relação às matérias-primas e mercadorias obtidas.

Desse modo, dependendo do quanto os fornecedores são fortes, eles podem elevar os preços ou reduzir a qualidade, pressionando a rentabilidade das empresas. Quando isso acontece, é necessário decidir entre aumentar o preço final para o consumidor ou reduzir os ganhos.

Assim, o poder de barganha dos fornecedores é fundamental para compreender a competitividade de um determinado setor do mercado.

5. Produtos ou serviços substitutos

Por fim, Porter analisa como a competitividade é influenciada por companhias que, em um primeiro momento, não são concorrentes diretas de um negócio. Essa realidade é percebida uma vez que existem produtos ou serviços substitutos no mercado — ou seja, que não são iguais aos de uma companhia, mas suprem a mesma demanda.

Nesse contexto, esses serviços ou produtos podem pressionar a rentabilidade da indústria ou tornar necessária a adaptação da estratégia. Por exemplo, no setor de decoração, é possível utilizar um quadro ou uma planta para suprir a mesma demanda. Logo, esses são produtos substitutos.

Como usar as 5 forças de Porter a favor do crescimento da sua empresa?

Como você notou, as 5 forças de Porter apresentam uma elevada influência na dinâmica de mercado. Por isso, além de compreendê-las, é importante saber como utilizá-las em favor do crescimento da sua empresa.

Acompanhe as dicas a seguir!

Faça pesquisas de mercado

Para utilizar as forças de Porter a favor de sua companhia, é preciso começar analisando o mercado com clareza. A partir dessa avaliação, você identificará a participação da empresa no mercado, as tendências de comportamento dos consumidores e fornecedores, além das ações dos concorrentes.

Mapeie as forças de sua empresa

Depois de realizar a pesquisa de mercado, será possível mapear as forças da sua empresa. Ou seja, você terá condições de identificar como sua companhia:

  • trabalha para barrar a entrada de novos concorrentes;
  • se posiciona no mercado em relação à concorrência já existente;
  • atua sobre o poder de barganha dos consumidores;
  • lida com o poder dos fornecedores;
  • opera para não sofrer com os produtos ou serviços substitutos.

Nesse sentido, pode existir, por exemplo, espaço para encontrar mecanismos de apostar na diferenciação do produto ou serviço oferecido ao seu cliente e aumentar o foco de atuação do negócio. Avalie seu público-alvo, seu nicho de mercado e considere as métricas de desempenho.

Assim, será mais fácil encontrar formas de se destacar perante a concorrência e atrair e fidelizar seus clientes.

Inclua a análise no seu planejamento estratégico

Depois de avaliar as forças de Porter no seu negócio, é importante incorporá-las ao seu planejamento estratégico. Nesse caso, a ideia é fortalecer os pontos de destaque — de modo a beneficiar o posicionamento de mercado da sua empresa perante os concorrentes.

Também é preciso estipular medidas que ajudem a superar as fraquezas mapeadas. Assim, é possível tornar o empreendimento mais competitivo e ampliar a confiança do público ao que você tem a oferecer.

Compreendendo as 5 forças de Porter e adotando sua análise na estratégia de negócio, você poderá tomar decisões com foco em favorecer e aumentar a sua competitividade. Desse modo, será viável alcançar os objetivos estratégicos com mais facilidade e ampliar o potencial de crescimento da empresa ao longo do tempo.

Para conhecer mais sobre quais atitudes adotar em direção ao sucesso do seu negócio, leia nosso artigo sobre os 5 aprendizados de Walt Disney para aplicar no atendimento ao cliente!