Ao começar uma empresa, o empreendedor sabe que precisa se preocupar com muitas questões. Uma delas é a divulgação do negócio, afinal, será preciso atrair clientes, certo? Uma vez atraído, o cliente irá querer saber mais sobre o produto que seu negócio vende.

Dentre as informações que ele precisa ter está o preço. É aí que muitos empreendedores encontram dificuldades. A boa notícia é que existem algumas variáveis a serem analisadas e que ajudarão a empresa a encontrar o preço ideal.

É exatamente sobre isso que falaremos neste artigo, então, se você quiser saber de uma vez por todas como definir o preço de produto, continue por aqui!

A importância da precificação de produto

É comum empresas, principalmente as que são novas no mercado, decidirem definir preços num valor abaixo daquele praticado pela concorrência. Muitas fazem isso achando, equivocadamente, que o preço menor chamará a atenção dos consumidores e aumentará o volume de vendas.

Em algumas vezes, as vendas até aumentam. No entanto, isso não significa necessariamente que a empresa esteja tendo lucro, pois pode ser que os custos sejam mais altos que as receitas. Além disso, quando o produto é muito barato, existe a possibilidade de o consumidor o perceber como de “baixa qualidade”.

Há também quem defina um preço exageradamente alto. A estratégia até funciona – e é praticada – em casos de marcas de luxo ou de produtos premium. No entanto, de forma geral, o preço exagerado de um produto pode ser muito prejudicial, já que o comprador sempre olhará os preços de seus concorrentes.

Portanto, como você pode ver, na hora de pensarmos em como colocar preço em produtos não devemos ser oito nem oitenta. A palavra de ordem é equilíbrio, e o mesmo é alcançado a partir de algumas estratégias.

Estratégias para definir preço de produto

Achar o preço ideal inclui diversas variáveis. Para este artigo apresentaremos as mais básicas que servem como um ponto de partida:

1. Analise o mercado

Saber o quanto a concorrência está cobrando é importante, pois dará uma ideia de como você deve se posicionar com relação ao preço de venda do produto. Na hora de fazer essa avaliação, tome dois cuidados:

  • Compare sua empresa com concorrentes do mesmo porte;
  • Veja quais diferenciais você oferece e que destacam seu negócio da concorrência (e vice-versa).

Por exemplo, pode ser que seu produto seja tão bom quanto o de seu concorrente, mas a diferença é que enquanto sua empresa dá garantia de 12 meses, na outra a garantia é de 3. Coloque fatores como esse na balança.

Para fins de conhecimento, ao basearmos o preço de produto nas práticas de mercado podemos ter:

  • Um preço acima do mercado: estratégia indicada quando a empresa tem um produto de melhor qualidade ou com um diferencial único no mercado.
  • Preços da concorrência: venda do item pelo mesmo preço da concorrência para maximizar o lucro e ao mesmo tempo manter a competitividade.
  • Um preço abaixo do mercado: estratégia de quem quer atrair clientes.

Cada uma das definições tem seus prós e contras. Em todos os casos, entenda quais são os custos de fabricação ou desenvolvimento do seu produto (falaremos sobre isso adiante), bem como a qualidade em comparação aos concorrentes. Esses fatores serão fundamentais para fazer uma precificação mais precisa.

2. Atente-se para seu público-alvo

O público-alvo fará diferença na hora de estabelecer o preço do produto. E aqui falamos tanto no poder aquisitivo quanto nas expectativas que ele tem.

Por exemplo, seu cliente busca mais agilidade, mais conforto ou exclusividade? Ele vê preço, prazo ou atendimento?

Normalmente, é muito difícil encontrar um produto de alto nível com preço baixo. Às vezes o seu público-alvo não pode bancar um produto muito caro e sabe que para isso terá que abrir mão de qualidade ou do atendimento.

Não existe certo ou errado aqui. O que existe é o ideal e o não ideal para o seu tipo de negócio e seu público.

3. Saiba quais são seus custos e despesas

Antes de qualquer coisa, é preciso entender a diferença entre custos e despesas. Os custos têm a ver com todos os gastos da sua empresa para a fabricação do produto. Itens como matéria-prima, insumos, mão de obra, energia etc., entram na lista.

Já as despesas incluem todos os gastos relacionados à manutenção da empresa, como salários dos funcionários do setor administrativo, aluguel, materiais de escritório, contas da água, energia e internet etc. Perceba que eles são importantes para o funcionamento da empresa, mas não estão diretamente ligados ao produto.

Saber quais são os custos para produzir ou desenvolver um produto e as despesas para manter a empresa é essencial para encontrar o preço certo. Basicamente, o que você terá que fazer é: gastos para fabricação/desenvolvimento de um produto + lucro em cima do produto = preço

Se sua empresa está começando não tem como saber os gastos com precisão. Nesse caso, analise quais os desembolsos iniciais que precisa ter para fabricar ou desenvolver o produto e estime o quanto de receita obterá. À medida que o tempo passa você poderá analisar os ajustes que precisarão ser feitos nos preços estabelecidos.

Falando em ajustes, uma dúvida muito comum quando o assunto é precificação de produtos é a seguinte:

Produto precificado, não preciso mais me preocupar?

Na verdade, o trabalho de precificar um produto não acaba nunca. É importante que você avalie sua política de preços constantemente, em especial em situações que:

  • Os custos mudaram;
  • Um novo produto é introduzido;
  • A estratégia de vendas é reformulada;
  • Concorrentes mudaram o preço;
  • Cenário econômico de inflação ou recessão;
  • A empresa decidiu mudar o público-alvo.

Portanto, nunca esqueça de sempre ficar de olho no mercado e no fluxo de caixa do seu negócio.

Concluindo

Você já sabe que encontrar o preço ideal de um produto é fundamental para a sobrevivência da empresa. Agora, para entender de uma vez por todas como encontrar o preço de produto, não esqueça de algumas regras gerais:

  • Todos os preços devem cobrir custos e lucros;
  • Caso queira baixar preços de forma eficaz, baixe os custos;
  • Preços devem ser estabelecidos para garantir as vendas;
  • Revise os preços frequentemente para garantir que eles reflitam a dinâmica do custo, as demandas do mercado, a concorrência e os objetivos de lucro da sua empresa.

O que você achou deste conteúdo? Se ele foi útil a você, compartilhe-o em suas redes sociais. E para mais textos que possam ajudar seu negócio, fique de olho em nosso blog!