O meio digital é essencial na estratégia de marketing de empresas que procuram fortalecer sua marca nos dias atuais. Para tanto, é preciso estar em boa colocação nos mecanismos de busca. Mas, você já se perguntou “por que meu site não aparece no Google”?

O Google é hoje o principal ambiente online procurado pelos seus clientes em potencial, que estão diariamente realizando pesquisas e tirando dúvidas. Logo, estar em uma má posição no buscador pode ser prejudicial para a performance da organização na internet.

Quer saber como reverter esse cenário? Confira este artigo para entender os motivos que podem contribuir para seu site não estar no Google e conhecer as estratégias que podem solucionar o problema!

Vamos lá?

Qual a importância de estar no Google?

Antes de entender mais sobre as razões que levam seu site a não estar no Google, vale saber a importância de se colocar nesse buscador. Assim, você compreenderá melhor os benefícios de aplicar estratégias para resolver a ausência da sua página nas primeiras páginas do site mais acessado do mundo.

Saiba mais sobre as vantagens de estar no Google!

Geração de autoridade

Criar autoridade para a sua empresa é uma das maiores vantagens de estar no topo do Google. Afinal, essa é uma maneira de se destacar em meio à concorrência do seu nicho e se tornar referência no campo de atuação.

Isso acontece porque é natural que os clientes prefiram fazer negócios com empresas de boa reputação. Nesse sentido, é comum que eles avaliem a percepção que o mercado tem sobre as companhias. Logo, uma boa posição no Google pode ajudar.

Aumento da visibilidade

O Google também contribui para o aumento na visibilidade da sua empresa. Logo, não aparecer nesse buscador dificulta que novos clientes possam encontrá-lo. Consequentemente, o problema pode impactar negativamente nas suas vendas — especialmente porque o seu concorrente já tem investido nessa estratégia.

É importante lembrar que 90% dos brasileiros fazem pesquisas online antes de comprar produtos — mesmo em lojas físicas. Dessa forma, o site deve estar em boa posição para ganhar destaque no processo de decisão desse público.

Além disso, a visibilidade no buscador permite que você gere mais tráfego orgânico para o seu site. Esse ponto é importante para reduzir seus custos com mídia paga e o investimento necessário para atrair e converter o seu público-alvo.

Atração de novos leads

Aplicar estratégias para estar no topo do Google também ajuda sua empresa a atrair novos leads. Ou seja, você poderá impactar constantemente pessoas que podem ter interesse nos produtos ou serviços que são oferecidos.

Ademais, como vimos, esse impacto acontece de maneira orgânica — o que pode reduzir custos operacionais. Outra vantagem é que, dessa forma, você pode atingir diretamente leads qualificados. Ou seja, aqueles que estão mais próximos da sua persona e poderão fechar negócio mais rapidamente.

Quais critérios o Google leva em consideração para selecionar os sites?

Agora que você sabe qual a importância de estar em uma boa posição no Google, é oportuno entender o que a ferramenta considera para selecionar os sites que terão destaque nos resultados de busca dos usuários. À vista disso, existem diversos critérios que o algoritmo analisa para colocar os sites na primeira página.

A relevância do seu site é um dos principais elementos de avaliação. Nesse sentido, um dos critérios do Google são os backlinks. Ou seja, ele considera positivo quando outros sites usam links do seu — redirecionando o público para o seu conteúdo.

Mas, além do aspecto quantitativo, a qualidade é ainda mais importante. Não basta apenas ter muitos backlinks, é preciso que os sites que os utilizem também tenham autoridade.

Além disso, o conteúdo que a empresa produz é um ponto de avaliação. Portanto, organizações que investem em marketing de conteúdo e fazem um trabalho com foco em palavras-chave ganham um maior destaque no Google.

A experiência do usuário é outro elemento importante. Desse modo, o Google valoriza quando os usuários passam muito tempo em um site e navegam pelas seções dele. Assim, ele pode considerar que as informações presentes na página são de qualidade.

Dentre os diferentes critérios, a responsividade também é valorizada. Isso significa que é importante que o site consiga se adaptar aos diferentes equipamentos que os usuários usam para buscas — como smartphones, tablets e computadores.

Por que meu site não aparece no Google?

Como você viu, existem diversos critérios que colaboram para uma página estar no topo dos buscadores. Mas quais são os motivos que levam um site a não aparecer no Google?

Conheça os principais fatores!

Site novo ou reestruturado

Acabamos de ver que a autoridade do site e a experiência dos usuários estão entre os principais parâmetros de análise do Google, certo? Nesse sentido, sites novos ou que tenham sido reestruturados podem estar em processo de indexação.

Isso significa que o algoritmo do Google ainda não encontrou o seu site e, por isso, não o apresentará para os usuários. Essa indexação envolve aspectos variados e pode levar de dias ou até semanas para ser concluída.

No entanto, existem formas de acelerá-la. É possível, por exemplo, conseguir backlinks para o seu site. Eles podem vir tanto de suas redes sociais quanto de sites que o algoritmo já indexou.

Além disso, usar o Google Search Console também pode ajudar. Essa ferramenta permite que o Google analise seu site e emita um relatório com dicas que podem ajudar a melhorar seus resultados.

Pouca responsividade

Ao longo dos últimos anos, os smartphones passaram a ser cada vez mais presentes no cotidiano dos brasileiros. Muitos estudos mostram que os celulares já são o principal equipamento de acesso à internet no Brasil — à frente de computadores e tablets.

Portanto, é fundamental que o seu site esteja preparado para receber clientes que fazem as buscas por meio de smartphones ou qualquer outro tipo de meio de acesso. Assim, aumentam as chances dele ser bem visto pelos algoritmos do Google.

Por isso, um erro comum e que dificulta que seu site esteja no buscador é justamente a baixa responsividade. Nesse caso, usuários que não fazem acesso por computadores dificilmente passarão muito tempo na página — prejudicando o seu ranqueamento.

Experiência do usuário

Em complemento à responsividade, é importante valorizar a experiência do usuário. Afinal, além do tempo de permanência, a quantidade de páginas que o usuário acessa no seu site também demonstra para o Google que você tem materiais interessantes para o público.

Por isso, é fundamental que o seu site possa proporcionar uma boa experiência. Uma dica é organizar bem as seções da página, facilitando a maneira com que o leitor encontra as informações. Isso torna a visita mais agradável. Construir uma estratégia de links internos também pode ampliar a experiência do leitor.

A velocidade também é um dos elementos essenciais na experiência do usuário. Logo, o carregamento rápido é um dos critérios de ranqueamento do Google. Orientações que ajudam a melhorar esse aspecto são: compactar imagens e aproveitar o cache do navegador.

Qualidade e frequência do conteúdo

Por fim, um dos pontos mais importantes para ranquear bem no Google é a qualidade das informações que o seu site apresenta — especialmente no blog. Portanto, publicar materiais que ele não considera relevantes prejudica o desempenho da página.

Conteúdos que não são originais, de difícil leitura ou com mau uso das palavras-chave são exemplos de materiais que o algoritmo não preza. Desse modo, é interessante ter estratégias de marketing com foco na produção e veiculação de informações relevantes, corretas e de qualidade.

Quanto tempo leva para um site aparecer no Google?

Agora você sabe que os algoritmos do Google analisam certos pontos em um site antes de avançar com a indexação. Por isso, especialmente para sites novos, o processo pode levar um tempo — até mesmo algumas semanas ou meses —, desde que você mantenha uma frequência mínima de artigos, como 2 conteúdos semanais.

É válido lembrar que o Google é um buscador universal. Logo, milhares de novos sites são criados o tempo inteiro em todo o mundo. Dessa forma, os algoritmos precisam de um período para que consigam encontrá-los.

Nesse sentido, existem três etapas de avaliação dos algoritmos:

  • crawling: fase de rastreamento do site;
  • indexação: o site entra nas páginas do navegador;
  • ranqueamento: definição da ordem de aparição.

Assim, aparecer no Google pode não demorar tanto, mas estar na primeira página costuma ser uma estratégia de longo prazo. Afinal, a concorrência entre os sites pode ser bastante alta.

Por isso, é preciso desenvolver um planejamento com foco na produção de conteúdo de qualidade e publicação frequente, integração de canais (redes sociais, blog etc) e geração de backlinks — que podem surgir a partir de parcerias, por exemplo.

Para agilizar esse processo, uma dica é investir em conteúdos de qualidade e publicá-los com frequência. Uma frequência superior a 2 conteúdos por semana, por exemplo, pode ajudá-lo a acelerar os resultados de ranqueamento no buscador.

Como fazer meu site aparecer nas buscas do Google?

Agora que você entendeu os motivos que contribuem para que seu site não esteja no Google, é preciso saber quais estratégias podem servir para colocá-lo na ferramenta de busca.

Confira o que fazer!

Adequação às diretrizes do Google

O primeiro passo para colocar o seu site no Google é seguir as diretrizes de qualidade da plataforma. Elas consistem nos elementos que a ferramenta leva em consideração para realizar o rastreamento e a indexação em suas páginas.

Além disso, as diretrizes apresentam as principais boas práticas que o algoritmo valoriza, bem como o que pode prejudicar o desempenho do seu site. Portanto, conhecê-las é fundamental para melhorar a performance e a experiência do usuário.

Outro ponto interessante é que você possa aplicar as sugestões do Google Search Console. Além de acelerar a indexação do site, ele também traz dicas de melhorias. Logo, as mudanças podem ajudar a aprimorar o funcionamento do site e, consequentemente, otimizar os resultados no buscador.

Aplicação de técnicas de SEO

O search engine optimization (SEO), ou otimização para motores de busca, é outra maneira de colocar seu site em boas posições no Google. Ele representa um conjunto de práticas capazes de melhorar o desempenho das suas páginas nas ferramentas de busca.

O foco do SEO está no tráfego orgânico. Ou seja, ele possibilita que os próprios clientes potenciais encontrem sua marca a partir dos conteúdos que você produz, sem a necessidade de investir em anúncios ou demais estratégias de mídia paga.

Além disso, o SEO inclui técnicas on-page e off-page. O SEO on-page consiste nas otimizações que acontecem dentro do próprio site e nos conteúdos que serão publicados. Já o SEO off-page são as estratégias fora dele — como a geração de bons backlinks.

Lembre-se, no entanto, que a aplicação de boas práticas de SEO devem caminhar junto com a experiência do usuário e um conteúdo de qualidade. Sem esse cuidado, você pode correr o risco de prejudicar toda a sua estratégia de posicionamento no ambiente online.

Investimento em conteúdo de qualidade

Como você acompanhou, a produção de conteúdo de qualidade é fundamental para alcançar uma boa performance nos buscadores, especialmente no Google. Nesse sentido, o investimento em marketing de conteúdo — pilar de qualquer estratégia de ranqueamento — é essencial.

Como o próprio nome sugere, o objetivo dessa estratégia é gerar conhecimento de marca e atrair leads a partir da produção de bons conteúdos. Assim, uma das principais maneiras de aplicá-lo é criando um blog no site e publicando artigos educacionais de qualidade.

Para entender melhor, imagine que sua organização preste serviços de contabilidade para pequenas e médias empresas. Um exemplo de conteúdo seria “a importância do investimento em contabilidade para PMEs”.

Em um artigo, seria possível destrinchar todo o funcionamento do serviço contábil e listar as vantagens da contratação. Nessa estratégia, o foco não será fazer um anúncio direto da sua solução, mas sim tirar a dúvida do seu cliente potencial.

A partir desse conteúdo, o lead entrará em seu funil de vendas. Ou seja, começará a ser impactado pelos outros conteúdos que você produziu e, finalmente, seu time de vendas poderá convertê-lo de forma mais prática.

Uso de palavras-chave

A aplicação eficiente do SEO e o marketing de conteúdo depende de um bom uso das palavras-chave. Será por meio delas que o Google fará o ranqueamento dos seus materiais — e que seu público-alvo poderá encontrar o site.

A seleção de palavras-chave começa com a definição da persona. Ela representa o cliente ideal do seu negócio — principalmente em termos qualitativos. É preciso saber quais são os hábitos de consumo dela e o tipo de dúvidas que ela pode tirar online.

Para agilizar o processo, pode ser interessante fazer uma análise dos seus concorrentes. Ou seja, você deve entender qual estratégia eles utilizam e quais as palavras-chave estão presentes nos materiais que publicam.

As palavras-chave também são essenciais para que você faça um calendário de conteúdos. Ele será responsável por apresentar os temas que serão publicados no site, a data de cada um e a etapa do funil de vendas. Assim, é possível organizar a estratégia de marketing e usufruir das vantagens que ela pode oferecer ao negócio, especialmente no longo prazo.

Como vimos, a pergunta “por que meu site não aparece no Google?” é muito comum entre empreendedores e gestoras. Mas agora você entendeu os motivos para essa realidade e descobriu como mudar esse cenário e fazer seu negócio se destacar nos mecanismos de busca.

Quer fortalecer a presença digital da sua empresa por meio de conteúdos de qualidade? Fale com a ABContent!