A inteligência emocional é um fator que precisa ser considerado nas empresas. Afinal, apesar de ser aplicado com maior frequência na vida pessoal ele pode fazer toda a diferença também no ambiente corporativo.

Grande parte dos indivíduos passam a maior parte do tempo em seus trabalhos. As obrigações e relações que possuem podem deixá-los estressados e desmotivados. Por esse motivo, a inteligência emocional precisa ser considerada na esfera profissional para garantir produtividade e harmonia.

Acompanhe a leitura do artigo para entender importância da inteligência emocional nas empresas e veja como aplicá-la na prática!

O que é inteligência emocional?

Conforme a psicologia, a inteligência emocional é a capacidade que uma pessoa tem de compreender e gerenciar suas próprias emoções. Tem a ver também com possuir maior facilidade de aprender a lidar com os sentimentos dos indivíduos que estão ao seu redor.

Quem tem essa capacidade consegue alcançar melhores resultados, não só na vida pessoal, mas principalmente na profissional.

Em relação ao trabalho, saber gerenciar as próprias emoções é primordial para qualquer um. Dessa forma, é possível entender o que se está sentindo e assim, compreender o motivo e significado de cada emoção. Ainda, você consegue perceber como cada sentimento afeta seu desempenho e o dos outros.

Além disso, o desenvolvimento dessa habilidade facilita a percepção do comportamento de cada um dos colegas com os quais se trabalha e se relaciona no dia a dia.

Qual a importância da inteligência emocional no trabalho?

Para Daniel Goleman, autor do livro “Inteligência Emocional”, uma das obras mais conhecidas sobre o tema, ela é o principal fator para o sucesso profissional das pessoas.

Isso porque a maior parte das situações e conflitos que ocorrem no ambiente de trabalho exigem habilidades de relacionamento e compreensão humana.

Ela ajuda a interagir melhor com os outros, mesmo quando o cenário não parece ser de colaboração e parceria. Além disso, é importante para organizar a equipe, negociar e liderar.

Quando estamos trabalhando, continuamos sendo a mesma pessoa, mesmo que adotemos uma postura diferenciada. Cada um tem suas crenças, padrões de comportamento, necessidades e características próprias.

Mesmo que tenhamos que nos adequar ao local, essas marcas pessoais sempre aparecem. Dessa forma, identificar e gerir os sentimentos pode impedir que você mesmo se coloque em uma situação desconfortável e que outros fiquem descontentes com algum acontecimento.

Em casos de conflitos, a falta de inteligência emocional pode causar danos que podiam ter sido remediados. Quando alguém não entende o que sente, não consegue ter empatia, não mede suas reações e dificilmente resolve o problema. Tudo isso pode resultar em ofensas, injustiças e mágoas, prejudicando o clima organizacional.

A inteligência emocional não serve apenas para resolver entraves de maneira diplomática. A habilidade pode trazer impactos positivos na produtividade e satisfação dos colaboradores com a companhia.

Quais são as características de uma pessoa com essa habilidade?

Você percebeu no tópico anterior que algumas das características é a empatia e a capacidade de autogestão dos sentimentos, além da facilidade de identificá-los. Porém, esses não são os únicos traços.

Confira abaixo outras qualidades de um colaborador com inteligência emocional!

Autoconhecimento

Uma pessoa com essa habilidade tem consciência de suas forças e fraquezas. Ainda, entende o que consegue ou não fazer. Assim, ela pode trabalhar sua autoconfiança para usar seus pontos fortes ao seu próprio favor e trabalhar as suas debilidades.

Controle emocional

Trabalhar em grupo muitas vezes pode ser desafiador, cansativo e envolver diversos conflitos. Ter controle emocional ajuda a manter o indivíduo calmo e evita que a atmosfera – que muitas vezes pode ser tóxica ou com muita pressão – prejudique seu trabalho, bem como o dos outros.

Dessa maneira, evita-se que os problemas se tornem maiores, resolvendo-os com eficiência.

Estabelecimento de relações harmônicas

Mesmo em discussões sérias ou graves, uma pessoa com inteligência emocional consegue se manter equilibrada, bem como continuar com sua relação saudável com o subordinado ou colega que causou o conflito.

Isso porque ela sabe ser justa e evita que seus sentimentos negativos prejudiquem uma pessoa, sendo imparcial nesse momento.

Por esse motivo, os colaboradores e líderes com inteligência emocional são bem quistos pela maioria da equipe.

Melhor liderança

Um líder com essa habilidade consegue administrar melhor seu negócio. Ainda, tem capacidade de pensar em boas maneiras para manter os colaboradores confiantes, aumentando os resultados da empresa.

Como desenvolver a inteligência emocional nas empresas?

Aplicar e desenvolver a inteligência emocional nas empresas não é difícil. Confira abaixo o que você pode fazer para implementar essa habilidade entre seus colaboradores e principalmente, na atuação como líder de uma equipe!

Conheça suas próprias emoções

Isso foi dito a exaustão ao longo do artigo. Por isso, obviamente esse é o primeiro passo. Até porque, sem conhecer e controlar as próprias emoções impossibilita de desenvolver a inteligência emocional no trabalho.

Todos os profissionais precisam se esforçar sempre para se conhecerem melhor e identificarem o que sentem em diversos momentos. Sempre que perceberem que estão nervosos ou inquietos, devem refletir para entender o que sentem. Outrossim, precisam tentar identificar o que deu origem a essa sensação.

Conhecendo a origem do sentimento, é possível se entender mais a fundo e desenvolver um autocontrole.

Exercite a empatia

Identificar os sentimentos que possui e saber lidar com eles é apenas uma parte do processo. É preciso também exercitar a empatia, ou seja, a capacidade de entender as emoções do outro e se colocar no lugar dele.

A empatia ajuda a melhorar a comunicação entre todos, justamente por conseguirmos enxergar o lado dos outros. Assim, os conflitos diminuem, e a colaboração mútua e o respeito aumentam.

Realize treinamentos

Existem diversos treinamentos de inteligência emocional voltados a profissionais e líderes. Fazê-los e oferecê-los à sua equipe pode ser interessante para todos começarem a desenvolver essas atitudes positivas no ambiente corporativo.

Dê feedbacks

Os feedbacks são essenciais para evoluir as relações e o trabalho de cada um na companhia. As críticas construtivas, por exemplo, ajudam a motivar ainda mais os indivíduos.

Além de dar os feedbacks, é interessante pedi-los para saber sobre sua gestão e administração. Desse modo, você consegue melhorar atitudes que seus liderados não concordam, por exemplo.

A inteligência emocional nas empresas pode trazer diversos benefícios. Além de refletir na produtividade e resultados da sua equipe, ela pode ser fator fundamental para manter os colaboradores unidos, felizes e fiéis à organização.

Portanto, comece agora mesmo a implementá-la no seu negócio!

Gostou desses ensinamentos? Aproveite o nosso blog para aprender mais sobre temas importantes para empreendedores! Veja agora o que é gerenciamento de crise e como criar um plano para a sua empresa!