Manter as contas em ordem na empresa é essencial não só para a saúde financeira do negócio, mas também para garantir sua própria sobrevivência. Quem administra uma companhia sabe muito bem que essa função não é fácil, mas precisa ser exercida com muita responsabilidade.

Finanças em uma companhia envolvem despesas fixas e variáveis, investimentos e ainda os fatores econômicos, que interferem diretamente no mercado. É o caso das crises, por exemplo.

Por mais que seja desafiador cuidar desse aspecto, há boas práticas para manter as contas da empresa em ordem. Continue a leitura do artigo e descubra como fazer esse trabalho de forma eficiente!

Conte com ajuda especializada

Cuidar do financeiro de uma empresa pode ser assustador. Apesar de não ser algo impossível de ser realizado, é fato: esta não é uma tarefa para qualquer um. Nesse momento, o ideal é que o administrador ou equipe financeira seja composta por profissionais que entendam de finanças corporativas.

Se a empresa é sua e você acredita que não consegue deixar toda essa questão em ordem, conte com ajuda qualificada. Afinal,  qualquer erro ou decisão mal tomada nesse assunto pode prejudicar todo o desempenho corporativo.

Não gaste mais do que tem

Essa dica pode ser óbvia, mas deve ser considerada uma regra universal para quem deseja manter as contas da companhia em dia. Tanto na vida pessoal quanto no lado profissional, é primordial ter zelo com o dinheiro e não acumular mais dívidas do que consegue pagar.

Antes de assumir novos compromissos, seja contratar mais profissionais, comprar equipamentos ou alugar um local maior, faça uma análise cuidadosa do seu fluxo de caixa e pense no impacto que esse novo gasto pode causar. Portanto, não crie mais dívidas do que poderá arcar.

Separe as contas pessoais das despesas da empresa

Esse erro pode ser cometido por alguns empreendedores. Por esse motivo, sempre vale a pena reforçá-lo.

Suas contas domésticas precisam estar em ordem e totalmente separadas das corporativas, as quais também precisam estar em dia e perfeitamente organizadas.

Seria um erro pagar as despesas domésticas com o dinheiro da firma. O contrário também seria perigoso. Dessa forma, terá grandes chances de se endividar e desperdiçar dinheiro.

Além disso, não ter essa divisão entre dinheiro particular e empresarial pode deixar você mal acostumado. Afinal, todo final do mês usará recursos de um para pagar dívidas de outro.

O resultado pode ser muito ruim: além de perder dinheiro e poder prejudicar o negócio, ficará difícil saber o que realmente é seu e do seu empreendimento.

Aposte em uma rotina

Para manter a organização e atingir os objetivos definidos, a gestão financeira precisa estar na sua rotina diária de trabalho. Ou seja, separe todos os dias um tempo para analisar esse fator. Revise vencimentos, orçamento, o que pagar no mês, dentre outros.

Ainda, lhe deixará com tempo para organizar todas as transações e não perderá o prazo de pagamento de contas e taxas. Sua produtividade aumentará, bem como não correrá o risco de pagar juros e multas por atrasos.

Tenha um planejamento financeiro

O planejamento financeiro é a ferramenta capaz de prevenir seu estabelecimento de problemas futuros envolvendo falta de verbas. Além de ajudar a controlar os recursos, será possível projetar receitas, despesas e lucros.

Pode servir também como base para o gestor tomar decisões melhores em relação à utilização do dinheiro do negócio.

Converse com os responsáveis desse setor e elabore uma planilha atualizada com todas as dívidas da empresa, além de outros dados relevantes – como investimentos que deseja fazer, metas e objetivos.

Pague as despesas em dia

Se tem um planejamento financeiro organizado, bem como possui o ato de planilhar todos os gastos feitos, essa etapa pode ser mais fácil de ser realizada.

Para evitar juros e multas por atraso no pagamento, procure pagar tudo em dia. Caso não tenha dinheiro para quitar algo na data estipulada, tente entrar em contato para negociar uma outra data de pagamento.

Negócios possuem uma imensidade de despesas fixas, como: água, luz, telefone, aluguel, salário de funcionários, pagamento de serviços terceirizados, dentre outros.

As consequências de atrasar grande parte delas pode resultar na perda considerável de valores, inclusive em taxas decorrentes por atraso ou falta de pagamento.

Evite empréstimos desnecessários

Empreendimentos, de forma geral, acabam pedindo empréstimos em um momento ou outro. Pode ser buscado para fazer investimentos – seja na compra de melhores equipamentos, ampliação da área física, dentre outros – ou para quitar alguns compromissos.

Mesmo que sua empresa esteja saudável financeiramente, evite fazê-los para financiar tudo o que deseja. Tenha cautela e saiba avaliar quando essa alternativa pode ser vantajosa ou não.

Lembre-se de que muitos deles podem vir acompanhados de juros nada interessantes, mesmo que você consiga negociar. O ideal é sempre ter uma quantia considerável em caixa para utilizar em investimentos que considera essencial. Ou, claro, para quitar despesas em momentos de maior dificuldade.

Faça revisões periódicas

Como você já sabe, a gestão financeira precisa estar diariamente na sua rotina de trabalho. Mas além de revisar as contas, faça, nem que seja uma vez por semana, uma revisão detalhada para onde o dinheiro está indo.

Essas revisões mais completas lhe ajudarão a identificar possíveis taxas extras, multas ou outras despesas que não estavam previstas. Identifique se houve pagamentos acima do que foi pedido para entrar em contato com a instituição e pedir o ressarcimento.

Verifique também se não há tarifas abusivas para poder negociá-las ou a troca por outras alternativas ou planos mais acessíveis.

Priorize sempre as contas a pagar

Diante de tantas despesas e desejos de investir, priorize as que precisam ser pagas e estão prestes a vencer. Principalmente aquelas essenciais, como conta de energia elétrica e água.

Antes de decidir utilizar seu dinheiro em qualquer situação, seja para comprar algum equipamento novo ou outro investimento, certifique-se de que todas as contas estão pagas.

Verifique também se há uma boa reserva para pagar essas despesas essenciais nos próximos meses, caso haja imprevistos ou problemas de caso fortuito ou força maior, como uma crise.

Isso evita problemas que poderiam ter sido evitados, bem como estresse por falta de dinheiro.

Mantenha uma reserva de emergência

Considere obrigatório ter uma reserva de emergências da empresa. O ideal seria ter pelo menos 1 ano do custo da companhia para mantê-la funcionando. Caso não tenha, comece fazendo uma agora mesmo.

Manter as contas em ordem na corporação é primordial para a própria sobrevivência do negócio. Sem contar que, quando esse setor está organizado, é possível que o dinheiro seja utilizado com mais sabedoria. Principalmente em investimentos que podem trazer ótimos resultados para a sua empresa.

Siga as dicas do artigo e garanta uma situação financeira controlada e organizada!

Gostou das ideias para manter as finanças em ordem no seu local de trabalho? Continue aprimorando suas habilidades para cuidar de um negócio! Veja agora 9 dicas para fazer uma boa gestão empresarial!