Apesar de ter importância central para a saúde de qualquer negócio, infelizmente muitos empreendedores ainda não dão a devida atenção ao planejamento financeiro para empresas. Se é o seu caso, está na hora de encarar o problema.

Pense bem: o que acontece quando uma pessoa deixa de planejar e acompanhar as próprias finanças? Fica mais fácil enfrentar dificuldades, gastar demais e até mesmo se endividar, certo? O cenário para empreendedores é ainda mais delicado.

Afinal, o aspecto financeiro está completamente ligado aos resultados da empresa e à manutenção dela no mercado. Vamos falar sobre o tema?

Por que fazer um planejamento financeiro para empresas?

Se você está se perguntando qual é a relevância do planejamento financeiro no seu empreendimento, saiba que existem muitos motivos para realizá-lo. O primeiro deles é a oportunidade de diagnosticar a realidade do negócio.

A empresa está indo bem? As vendas estão em patamares positivos? As estratégias de marketing têm dado bons resultados? As contas estão sobre controle? Só é possível responder às perguntas quando há um acompanhamento da realidade financeira.

Além disso, o planejamento é importante para direcionar os seus esforços. Indicando, por exemplo, que custos podem ser cortados ou reduzidos, que setores da empresa precisam de mais investimento e o que fazer para aumentar as entradas de dinheiro.

Em resumo, o planejamento financeiro empresarial está na base de todas as decisões acerca do negócio. Sem ele, os riscos de ineficiência aumentam, assim como o perigo de enfrentar descontrole no orçamento e, consequentemente, a dificuldade de manter a empresa funcionando.

Quais são os principais erros cometidos por empreendedores?

Você acabou de ver que o planejamento financeiro pode ser o diferencial para sua empresa não fechar as portas e conseguir continuar crescendo no mercado. Mas, por que é difícil planejar as finanças empresariais às vezes?

Nem todo empreendedor começa seu negócio sabendo realizar atividades administrativas. O importante é perceber as dificuldades e procurar estratégias para superá-las. Confira alguns erros comuns.

Acreditar que o planejamento financeiro é desnecessário

A crença de que não precisa cuidar das finanças é uma falha muito prejudicial à saúde da empresa. Como você viu, o controle financeiro é fundamental e deve ser visto assim por todos os empreendedores.

Ainda que pareça um trabalho complexo e demorado, pense que o planejamento economiza muito tempo e recursos lá na frente. Afinal, ter um plano eficiente permite otimizar os processos da empresa e alcançar resultados melhores.

Não ter capital de giro

O capital de giro é uma espécie de reserva de emergência. É ele que oferece segurança diante de períodos desafiadores — por exemplo, a sazonalidade. Sem ele, seu caixa fica vulnerável aos movimentos do mercado.

Tal realidade traz inúmeros problemas. É o caso de empresas que não conseguem garantir os custos básicos em um mês de baixa no consumo. Você precisa da estabilidade garantida pelo capital de giro para ter independência em relação ao mercado.

Misturar finanças pessoais e empresariais

Esse é um erro comum, principalmente em pequenas empresas. Utilizar dinheiro do caixa do negócio para gastos pessoais desequilibra o orçamento empresarial. Da mesma forma, investir do seu bolso sem nenhum controle também não é benéfico.

O ideal é manter orçamentos separados. Assim, é possível saber exatamente como está a realidade financeira da empresa e quais são seus limites e possibilidades como empreendedor. Lembre-se: sua saúde financeira pessoal é tão importante quanto a empresarial.

Colocar-se objetivos ineficientes

Mais um erro que alguns empresários cometem quando pensam sobre planejamento financeiro é não saber definir seus objetivos. Muitas vezes, eles colocam metas irreais e acabam não sabendo lidar com a frustração dos planos.

É importante ficar atento para não ter ambição exagerada — assim como não colocar objetivos pequenos e pouco motivadores. Avalie o seu negócio e pense em metas que sejam possíveis e desafiadoras ao mesmo tempo.

Como montar seu planejamento?

Quer montar um planejamento financeiro para empresas e ter muita eficiência nele? Confira um passo a passo essencial.

Etapa 1: Avaliação

O esforço inicial que precisa ser feito é o de avaliar a atual situação da empresa. Não há como planejar algo partindo do nada, certo? Então, comece fazendo um diagnóstico das finanças, utilizando os demonstrativos financeiros, relatórios. etc.

Evite ao máximo usar projeções na primeira etapa. O melhor é se basear em documentos. Caso não tenha um controle eficiente ainda, verifique os extratos bancários, o livro caixa e outros recursos que podem ajudar.

Etapa 2: Projeção

Agora sim as projeções são bem-vindas. O passo anterior consistiu em olhar para o passado e o presente. Na segunda etapa, é hora de focar no futuro. Com os dados obtidos no diagnóstico, torna-se viável planejar o negócio.

Isso significa avaliar a situação atual da empresa e pensar em como você deseja que ela esteja no futuro. Ou seja: que indicadores devem melhorar, que setores precisam de mais dinheiro, que estratégias podem ser utilizadas para aumentar o equilíbrio financeiro, etc.

A etapa da projeção é a mais importante de todo o processo, pois consiste no planejamento financeiro de fato. Portanto, não tenha pressa. Certifique-se de ter feito um diagnóstico preciso, estude o mercado com atenção e leve o tempo que precisar montando seus objetivos.

Etapa 3: Execução

A execução é a etapa em que seus planos se transformam em realidade. Ela também merece muito cuidado, já que falhas nesse processo comprometem as metas e os resultados.

Ao chegar no passo 3, considere os recursos que podem lhe ajudar a executar o planejamento com a máxima eficiência. Por exemplo, se você projetou um maior controle financeiro, veja se o uso de um software ou a contratação de um consultor na área ajudaria a otimizar seu esforço.

Etapa 4: Acompanhamento

Por fim, não deixe de realizar o acompanhamento do seu planejamento financeiro para empresas. Afinal, ignorar a etapa 4 lhe traz de volta para a situação inicial, quando não havia um planejamento eficiente.

Esse passo diz respeito a fechar um ciclo e começar o seguinte. Em outras palavras, você fará uma avaliação do que deu certo e do que precisa ser modificado no plano. Então, começará novamente a se planejar.

É interessante utilizar métricas no acompanhamento. Assim, fica mais fácil perceber os efeitos reais do plano que foi colocado em prática. Analise os documentos da empresa para verificar como ficaram o caixa, o orçamento, as projeções de vendas, etc.

Depois de chegar até aqui, você já sabe como realizar um planejamento financeiro para empresas. Lembre-se de que ele é indispensável na saúde do seu negócio.

Por isso, vale a pena montar um plano eficiente e acompanhar as consequências dele de perto.

Quer aprofundar o conhecimento dos pontos fortes e fracos da sua empresa? Saiba como aplicar a análise SWOT!