Existem diversos estereótipos acerca do empreendedorismo. Muitas vezes, empresários são vistos como pessoas egoístas e preocupadas apenas com dinheiro. Mas, de maneira geral, essa é uma visão deturpada, já que um empreendimento precisa resolver problemas relevantes para se manter no mercado.

Se esse é um estereotipo irreal quando se considera a maioria dos empreendedores, a situação fica ainda mais evidente quando se fala sobre exemplos de empreendedorismo social.  Isso porque a razão de existir desses negócios é focada em contribuições socioambientais importantes.

Quer saber mais sobre o assunto? Confira o que é esse tipo de empreendimento e veja algumas empresas que fazem muita diferença no Brasil e no mundo!

Saiba o que é empreendedorismo social

Uma empresa — qualquer uma — deve ser fundada a partir de um problema ou necessidade. Afinal, é isso que move o consumo humano: nós adquirimos itens ou serviços dos quais precisamos ou que facilitam nossa vida.

A assinatura de um serviço de internet pode ser utilizada como exemplo. Ter esse serviço em casa ou no trabalho agiliza sua rotina e permite realizar diversas atividades que seriam difíceis ou mesmo impossíveis sem o acesso à internet, certo?

Negócios que se encaixam como empreendedorismo social também partem dessa ideia de oferecer um valor, isto é, resolver problemas ou necessidades de um público-alvo. A principal diferença entre esses empreendimentos e os tradicionais é que, nesse caso, o foco está em problemas sociais.

Quais são as maiores demandas que você percebe na sua cidade, no Brasil e no mundo? Geralmente, ao ler essa pergunta as pessoas conseguem elencar de maneira rápida algumas problemáticas muito relevantes — como educação, violência e sustentabilidade.

O caminho é exatamente esse. Os problemas sociais podem ser definidos como questões que frequentemente afetem a vida de comunidades e grupos de pessoas. E empresas que surjam para ajudar em pontos como esses são desenvolvidas pelos chamados empreendedores sociais.

Conheça 4 exemplos de empreendedorismo social no Brasil

Uma dúvida que costuma surgir quando se entra em contato com o conceito de empreendedorismo social é a seguinte: o que o diferencia de organizações não governamentais (ONGs)? Basicamente, as ONGs não visam o lucro, enquanto empreendedores têm sim essa busca.

Empresas com viés social desenvolvem seus negócios a partir do objetivo de promover bem-estar mas, ao mesmo tempo, têm o intuito de sustentar suas atividades sem depender de doações. Além disso, elas também obtêm lucro — com a venda de produtos ou serviços, por exemplo.

A seguir, trazemos 6 exemplos de empreendimentos desse tipo para que você conheça e entenda melhor esse contexto!

1. Geo Energética

Não há dúvidas de que a questão energética é um dos problemas sociais mais urgentes no nosso país e em todo o mundo. Afinal, o meio ambiente vem dando indícios de que não aguentará por muito tempo a exploração dos recursos naturais da forma como está acontecendo.

E o setor de energia é um dos principais responsáveis por danos ambientais — principalmente quando se considera a indústria elétrica e a de transporte. Por isso, o trabalho de empresas como a Geo Energética oferece contribuições essenciais.

Esse empreendimento social desenvolve formas alternativas e sustentáveis de energia, especialmente relacionadas ao biogás. Ele pode ser utilizado como fonte de eletricidade e também como combustível substituto ao óleo diesel.

2. Rede Asta

Os empreendedores sociais da Rede Asta tiveram uma ótima ideia para aproveitar o comércio e distribuir renda: vender itens produzidos por pessoas que vivem em condições consideradas precárias.

Com isso, a empresa dá visibilidade para trabalhadores que já enfrentaram muita dificuldade salarial — em especial mulheres artesãs. A sustentabilidade é mais um valor desse negócio, que também busca trabalhar com materiais recicláveis.

3. Instituto Chapada

As críticas à educação pública brasileira não são segredo para ninguém. Além de constantes discussões nacionais sobre esse assunto, o Brasil recebe destaque mundial por, infelizmente, ocupar as últimas posições em rankings educacionais.

Empresas podem ajudar a mudar essa realidade? Com certeza! E essa é a proposta do Instituto Chapada, um empreendimento social que foca sua atuação nesse setor. Entre suas atividades cotidianas estão o oferecimento de formação continuada para professores e gestores da rede pública.

Além disso, o instituto participa de discussões fundamentais sobre as políticas públicas de educação e se propõe a desenvolver e fortalecer redes colaborativas para melhoria das escolas.

4. Geekie

A Geekie é mais um caso de empresa social no ramo da educação. Dessa vez, focada em um tema muito atual: tecnologia. Os fundadores do empreendimento foram motivados pela necessidade de conectar os estudantes com a escola.

Para eles, a solução desse problema passa pela tecnologia, já que as inovações mudaram definitivamente a maneira como as pessoas vivem e aprendem. Por isso, a Geekie cria plataformas de ensino que auxiliam a rotina de escolas.

A empresa é responsável, por exemplo, pela automatização de avaliações externas e por um aplicativo que promove simulados do Enem online.

Empresas sociais em outros países

Diversos empreendedores em todo o mundo também têm dedicado tempo para projetos de empreendedorismo social. Conheça alguns deles!

5. TOMS Shoes

Você já pensou em como uma empresa poderia ajudar a mudar a realidade de miséria do mundo se fizesse uma doação a cada produto que vende? É isso que acontece na TOMS Shoes. Ela foi fundada por um americano que se sensibilizou ao ver crianças descalças na Argentina.

Com isso, tomou uma grande decisão: cada vez que seu negócio consegue vender um par de sapatos, outro par é doado para crianças que vivam em condições de baixa renda.

6. Silulo

Esse é mais um representante de trabalho significativo, dessa vez na África do Sul. As filiais dessa empresa, espalhadas por todo o país, buscam oferecer soluções para jovens que estão à procura de emprego e de qualificação.

A Silulo é uma rede de cafés que também disponibiliza internet acessível e conta com centros de formação. Neles, são ofertados serviços de capacitação — como treinamentos, oficinas tecnológicas e consultorias de empregabilidade.

Os 6 exemplos de empreendedorismo social que apresentamos inspiram qualquer pessoa, não é mesmo? Eles são algumas provas de que é possível aliar o desenvolvimento de negócios à realização de propósitos sociais. E o melhor: impactando positivamente diversas pessoas e comunidades em todo o mundo!

Quer continuar lendo sobre empreendedorismo? Veja como inovar a experiência do consumidor!