O trabalho flexível está ganhando espaço no Brasil não apenas entre autônomos ou freelancers. Diversas empresas também estão reconhecendo as vantagens de utilizar a transformação digital para romper os limites geográficos.

Nesse modelo de trabalho, a equipe não precisa estar sempre reunida. Mais do que isso, é possível ter colaboradores em diferentes cidades, estados ou até mesmo países. Tal realidade traz inúmeras possibilidades para uma empresa, como é o caso da opção de atuação a partir de home office ou coworking.

Mas, afinal, o que se mostra mais vantajoso para estes negócios: home office ou coworking? Ambas as opções se adequam bem à rotina de trabalho remoto e cada uma tem vantagens e desvantagens. Veja quais são elas a seguir!

As diferenças entre home office e coworking

Vamos começar conceituando as duas alternativas. O home office é a oportunidade de trabalhar da própria casa, seja aproveitando a estrutura que já existe ou (de preferência) montando um escritório com os materiais necessários para a função.

Já o coworking é um escritório pronto que pode ser compartilhado por diferentes empresas e profissionais. Há alguns anos era muito raro encontrar locais do tipo no Brasil. Contudo, tem ficado cada vez mais comum.

Vários empreendedores investem em um espaço confortável e funcional para oferecer o serviço de coworking. Assim, pessoas que atuam como freelancers, autônomos ou têm pequenas ou médias empresas podem alugar espaços e horários do empreendimento.

O coworking surgiu com o objetivo de possibilitar aos profissionais uma estrutura (básica ou complexa) de escritório com custos mais baixos. Afinal, os gastos são compartilhados e se torna viável trabalhar sem se responsabilizar pelo aluguel de uma sala ou prédio comercial sozinho.

Vantagens e desvantagens do home office

Depois de saber do se trata cada opção, que tal conhecer os pontos positivos e negativos de trabalhar em casa? Confira!

Economia

Sem dúvida, essa é a vantagem mais lembrada quando se pensa em home office. Seus custos com o trabalho podem se reduzir bastante e tender quase a zero, já que a maioria dos recursos (como energia elétrica) já seria utilizada na sua rotina normal.

Embora a conta de luz possa aumentar com o trabalho sendo realizado em casa, os custos ainda serão muito menores do que os envolvidos no aluguel de um espaço. Além disso, o profissional consegue economizar em deslocamento e até em alimentação.

Entretanto, vale lembrar que é preciso organizar um escritório. Logo, haverá gastos com móveis e materiais. Também existe a desvantagem do profissional ser o principal responsável pela organização de todo o seu dia a dia — por exemplo, realizar o atendimento ao cliente, preparar o próprio café e refeições, etc.

Liberdade

Não precisar se deslocar para outro local de trabalho e nem cumprir uma carga horária rígida oferece o benefício da liberdade. Ela pode ser fundamental para aumentar a qualidade de vida. Afinal, ninguém se sente bem enfrentando congestionamento nas grandes cidades, certo?

A desvantagem aparece quando falamos de pessoas que têm dificuldade com organização e disciplina. Os dois são indispensáveis para atuação no home office. Então, é preciso ponderar suas capacidades com sinceridade antes de decidir.

Isolamento

Aqui está mais uma característica que pode ser, ao mesmo tempo, uma vantagem e uma desvantagem. Por um lado, o isolamento ajuda a manter a concentração. Em escritórios convencionais, a movimentação de pessoas e as conversas são pontos negativos.

Mas, de outro lado, trabalhar de casa gera algumas dificuldades. Uma delas é o obstáculo na hora de realizar reuniões com colegas ou clientes. Se não houver uma estrutura adequada, será preciso alugar um espaço para os encontros.

Outra desvantagem relacionada ao isolamento é a desmotivação, caso você se sinta para baixo por causa da falta de contato com outras pessoas. Além disso, a rotina da família em casa pode gerar muita movimentação e atrapalhar seu trabalho.

Vantagens e desvantagens do coworking

Já apresentamos as informações principais sobre o trabalho em casa. Agora, para decidir se é melhor home office ou coworking, saiba um pouco mais sobre a segunda opção.

Acompanhe os pontos positivos e negativos dela.

Estrutura

Se o home office exige que você faça seu próprio escritório, o coworking se destaca por oferecer uma estrutura — muitas vezes, de ponta. Móveis adequados ao trabalho, cadeiras confortáveis, internet rápida, café e lanches disponíveis, etc.

Em alguns locais, é possível contar até mesmo com o serviço de recepção e atendimento telefônico. Além disso, existem espaços específicos para reuniões com clientes ou equipes. Mas, claro, tudo isso tem um custo.

Networking

Trabalhar de casa pode ser bastante solitário e dificultar a motivação, especialmente para pessoas que sentem a necessidade de construir relacionamentos. Afinal, com um home office não haverá aquele momento do cafezinho entre colegas.

Nesse ponto, o coworking apresenta uma vantagem. Inclusive, com a chance de ampliar sua rede de contatos, pois é possível conviver com pessoas que não trabalham diretamente com você. Entretanto, a realidade pode ser negativa para quem se desconcentra facilmente em espaços coletivos.

Proximidade do centro urbano

Se o deslocamento é um ponto negativo do coworking, ele também traz benefícios. Um deles é estar mais próximo dos centros urbanos e de facilidades que sempre precisamos em algum momento.

Ele também costuma ser um local mais perto de clientes e outros parceiros de trabalho que você precisa encontrar. É um ponto positivo, principalmente para aqueles que moram muito afastados do centro.

Como escolher entre home office ou coworking?

Você provavelmente percebeu que não existe uma resposta pronta para a pergunta sobre qual das opções é a melhor. Na verdade, tudo depende da personalidade de cada profissional ou empresa.

Alguns encontrarão ótimos resultados atuando em casa, enquanto outros darão preferência a espaços compartilhados de trabalho. Uma coisa é certa: ambas as escolhas são boas alternativas para diminuir custos e superar algumas vantagens dos escritórios tradicionais — como o deslocamento excessivo e a falta de liberdade de horário.

Afinal, mesmo em coworking você pode flexibilizar, escolhendo um local mais próximo de casa e fazendo seus próprios horários. Sem dúvida, o mercado de trabalho vem mudando e está proporcionando cada vez mais vantagens como essas.

E então, o que você acha melhor para sua empresa: home office ou coworking? Pense na realidade de trabalho da sua empresa e no seu perfil antes de tomar uma decisão. Considerando as informações que demos e os seus interesses principais, fica fácil decidir entre eles – ou, quem sabe, conciliar os dois.

Por exemplo, priorizar o home office, mas frequentar coworkings quando sua concentração estiver baixa ou quando for necessário receber um cliente. Também funciona na situação contrária: trabalhar em espaços compartilhados e ter a opção de ficar em casa quando sentir necessidade.

Agora que você já sabe como escolher entre home office ou coworking, que tal conhecer as melhores estratégias para fazer sua empresa decolar?