A produção de conteúdo de qualidade é essencial para fortalecer a presença digital do seu negócio e aumentar a base de leads. Nesse sentido, entender o que é copywriting é benéfico para alcançar resultados positivos no marketing.

O objetivo dessa prática é criar textos persuasivos e levar o seu público a uma ação — que pode ser a compra dos produtos da sua empresa, por exemplo. Assim, o texto é construído com o intuito de criar uma relação emocional e de confiança com o leitor, quebrando eventuais objeções.

Por isso, vale a pena saber como aplicar essa técnica de forma correta na sua estratégia de marketing digital. Confira a seguir o que é copywriting e como utilizá-lo!

O que é copywriting?

Embora o copywriting seja um termo que ganhou popularidade ao longo dos últimos anos, o seu conceito é antigo. Ele remonta ao final dos anos 1800 e início dos 1900 nos Estados Unidos — com a ascensão dos jornais impressos.

O conceito era usado para definir textos usados em anúncios. Ou seja, o objetivo do conteúdo era se diferenciar das notícias do jornal e apresentar um produto ao leitor. Desse modo, ele tinha o intuito de criar a percepção sobre o item e gerar vendas.

Nesse sentido, o copywriting é uma técnica de redação que busca persuadir e engajar o leitor. Para tanto, o escritor usa estratégias para manter a pessoa imersa no conteúdo e, ao mesmo tempo, quebrar suas objeções.

Portanto, uma copy de sucesso é aquela que consegue levar esse público a tomar a ação que a marca espera no call to action (CTA) — ou chamada para ação. Esse CTA pode ser para a compra do produto ou para a inscrição em uma newsletter, por exemplo.

No entanto, é importante não confundir o copywriting com a redação publicitária. Embora existam aspectos de ambas que se relacionam, o copywriter foca no texto persuasivo para gerar uma ação. Por sua vez, o redator publicitário pensa no conceito criativo mais amplo da peça.

Dessa forma, as atividades costumam ser complementares. Entretanto, elas atuam com propósitos diferentes em sua estratégia de marketing.

Como funciona essa técnica?

Agora que você aprendeu o que é o copywriting, é preciso saber como ele funciona. Nesse contexto, vale destacar que, quando se fala em marketing de conteúdo, o foco da estratégia está no uso inteligente da escrita — seja por meio da criação de posts para blogs, e-books, infográficos, etc.

Assim, o objetivo do copywriter nesse planejamento é proporcionar estímulos para que o público-alvo efetue uma ação. Para tanto, não basta apenas saber escrever. É preciso saber utilizar técnicas de persuasão.

Ou seja, o escritor deve envolver o leitor no conteúdo e fazer com que ele visualize as vantagens proporcionadas pelo produto ou serviço da empresa. Logo, o texto poderá converter esse lead em cliente de uma maneira mais eficiente.

Geralmente, o copywriter usa o storytelling para persuadir o leitor e utiliza gatilhos mentais para agilizar o processo decisório do lead. A ideia é que o leitor fique com a sensação de que necessita daquele produto.

Dessa forma, utilizar as melhores técnicas de copywriting, capazes de converter seus potenciais clientes, pode aumentar as vendas da sua empresa. Caso isso não ocorra, provavelmente as estratégias de persuasão não foram utilizadas corretamente.

Ademais, vale saber que os textos com copywriting devem ter um CTA claro. Esse detalhe pode facilitar o processo de mensuração de resultados da campanha. Para isso, você deverá definir os indicadores que usará para analisar os números que o conteúdo gerou.

Como escrever uma boa copy?

Entendeu o que é e como funciona o copywriting? Nessa perspectiva, existem elementos que devem fazer parte da sua produção de textos com foco em marketing e vendas. Eles são capazes de estruturar o conteúdo, delimitando o caminho que levará o leitor a realização de determinada ação.

O primeiro elemento é o direcionamento total ao público-alvo. Ele deve ter plena convicção sobre o porquê de estar lendo aquele conteúdo logo no início. A geração dessa compreensão acontece por meio de promessas e condições — que deverão ser concluídas e cumpridas pela empresa.

Outro ponto importante do copywriting para vendas é demonstrar uma motivação. Para tanto, é preciso definir uma big idea — ou grande objetivo. Ela é uma espécie de problema que o seu público-alvo compartilha.

Assim, você deve posicionar o seu produto como a solução, cumprindo pequenas partes desse objetivo com a escrita. Com isso, será mais fácil prender a atenção do leitor e convencê-lo no final.

A credibilidade também deve fazer parte das cartas de venda com técnicas de copy. Afinal, as pessoas se sentem mais seguras ao criarem uma relação de confiança com o anunciante. Por isso, é necessário mostrar quem está oferecendo a solução.

Os cases de sucesso também são elementos relevantes para aumentar a sua credibilidade. Então você pode apresentar avaliações do produto ou coletar declarações de clientes para estabelecer esse vínculo de confiabilidade.

Além disso, o leitor deve encontrar soluções que o façam sentir desejo pela compra. Então é importante que uma copy faça perguntas estratégicas e, no decorrer do conteúdo, especifique como a solução poderá trazer tais respostas.

Quais os exemplos de copywriting?

Agora que você compreendeu as principais características de uma boa copy, é necessário saber como se inspirar para produzir as suas. Nessa tarefa, vale a pena encontrar referências adequadas para direcionar o trabalho.

A principal forma de encontrar exemplos de copy é procurando produtos que são sucesso de vendas. Por exemplo, procure um infoproduto que esteja entre os mais vendidos de uma plataforma e veja como a marca estruturou a página de apresentação do item.

Outra estratégia para se inspirar é acompanhar o lançamento de produtos e serviços. Geralmente, muitas empresas usam da linguagem persuasiva para engajar o público antes de disponibilizarem um novo item no mercado. Logo, você pode seguir esse processo para usar como referência.

Ademais, você pode analisar os concorrentes do seu nicho de atuação. Assim, é possível entender as técnicas que eles utilizam e quais são os argumentos deles para a venda. Essa compreensão pode ser fundamental para você desenvolver uma comunicação mais assertiva.

Por fim, também é válido conferir exemplos de copywriting em anúncios, páginas de vendas ou mesmo em posts em redes sociais. O uso de todas essas referências pode contribuir para a formação de uma estratégia de sucesso.

Quais as principais técnicas de copywriting?

Como você viu, o copywriting é uma das principais formas de aumentar as vendas de um produto. Por isso, vale a pena conhecer as técnicas que contribuem para o alcance dos resultados positivos.

Confira!

Crie títulos atrativos

O título é o primeiro elemento de contato do seu leitor com o conteúdo. Se o público não se interessar por ele, será difícil convencê-lo a ler o restante do material. Então é importante direcionar um tempo maior para a escolha do seu título.

O ideal é que ele traga elementos como números ou dados. Além disso, vale investir em perguntas ou curiosidades que gerem reflexão. Outro elemento de atenção é a pessoalidade. Por fim, utilize adjetivos que tornem esse título mais agradável e convidativo.

Otimize a leitura

Você conhece o conceito de escaneabilidade? Ela é uma prática utilizada para a produção de conteúdo — e seu foco é otimizar a legibilidade do texto. Dessa forma, ela serve para manter as informações bem organizadas.

Nesse contexto, é interessante usar parágrafos e frases mais curtos, facilitando que o leitor visualize uma estrutura clara no conteúdo. Ainda, um texto escaneável pode ser obtido com o uso de marcadores, bullet points e subtítulos.

Valorize o storytelling

Contar histórias é uma ótima estratégia para criar conexão com o leitor. Portanto, considere investir no storytelling e usar metáforas que facilitem o entendimento do público-alvo e o estimulem a continuar a leitura.

Ainda, tenha em mente que você pode apresentar o conteúdo para leitores com diferentes graus de instrução. Dessa forma, é essencial tomar cuidado com conceitos muitos complexos, que podem não ser compreendidos.

Utilize gatilhos mentais

Os gatilhos mentais são elementos no seu texto que podem gerar uma reação automática no leitor. Um dos principais é o gatilho de escassez. Para alcançá-lo, você deve passar a ideia de que a oportunidade vale por tempo limitado e que o lead deve agir rápido.

O gatilho da reciprocidade é outro que pode ser vantajoso. Nele, você oferece uma espécie de brinde ao leitor e cria o desejo nele de “retribuir o favor” — respondendo ao seu CTA.

Você também pode usar o gatilho mental da autoridade. Para isso, é preciso se evidenciar como uma referência em seu campo de atuação. A estratégia gera mais confiança nos clientes e pode ser positiva para as vendas.

Além desses exemplos, existem diversos tipos de gatilhos mentais. Logo, você deve estudá-los e escolher o mais adequado com a proposta do produto. E lembre-se de não exagerar no uso — essa prática pode não gerar o efeito contrário no leitor e afastá-lo da sua solução.

Como vimos, desenvolver textos que impactem o público-alvo é fundamental para sua estratégia de marketing digital. Por isso, é preciso saber o que é copywriting e como ele funciona. Assim, você poderá usar essa técnica com mais eficiência!

Gostou de entender sobre o copywriting? Aproveite para saber mais sobre experiência do usuário!